Carolina Ferraz fala sobre o impacto que a morte do pai teve quando era jovem

A apresentadora deu detalhes sobre o falecimento do pai, quando tinha 14 anos, em uma entrevista ao Link Podcast

Resumo da Notícia

  • Carolina Ferraz contou detalhes sobre o falecimento do pai
  • Ela também relembra o impacto que esse acontecimento teve em sua vida
  • A conversa foi transmitida na quarta-feira, 26 de janeiro, no programa Link Podcast

Nesta última quarta-feira, 26 de janeiro, Carolina Ferraz, relembrou detalhes sobre a morte do pai em 1998, quando ela tinha 14 anos. A apresentadora lamentou o ocorrido em uma entrevista ao programa Link Podcast.

-Publicidade-

“Meu pai foi assassinado com seis tiros, uma história muito violenta, trágica. Estouraram a cabeça do meu pai, uma loucura. Ele teve que ser enterrado com caixão fechado, olha que coisa. [Foi] Um ex-sócio do meu pai, ele devia dinheiro para o meu pai, aí começaram a se desentender em relação a esse pagamento”, contou.

Carolina Ferraz fala sobre a morte do pai
Carolina Ferraz fala sobre a morte do pai (Foto: Reprodução / YouTube / Link Podcast)

“Passou um ano, meu pai sofreu um atentado. Ele ia fazer uma pós-graduação, [a família] ia passar dois anos fora e nós desistimos dessa pós por causa do atentado. Ele falou: ‘Não posso sair, agora preciso ficar’. Seis meses depois ele foi assassinado saindo do escritório onde trabalhava”, continuou.

“Aí a gente vê como as coisas funcionam. Nunca houve nada, nunca aconteceu nada. O cara não está vivo, infelizmente. Até infelizmente mesmo, pois não desejo mal nenhum a ninguém. Ele nem sequer foi a julgamento”, lamentou.

“Eu não entendia. Minha mãe ficou muito mal, meu irmão e minha irmã também. Eu sobrei um pouco, mas cada um reagiu de um jeito. Eu chorei muito, fiquei triste, mal-humorada, ainda não havia uma expectativa que eu me comportasse bem. As pessoas não têm muita paciência se você não está com tudo certo. Sinto que a minha mãe foi pressionada pra ficar bem. Eu, como era pequena, pude viver um luto. Talvez a única da família”, refletiu ela.