Casal é preso após tentar vender filha recém-nascida por R$ 9 mil

O caso aconteceu em Salvador e os interessados pela compra também foram detidos

Resumo da Notícia

  • Casal é preso após tentar vender filha recém-nascida por R$ 9 mil
  • O caso aconteceu em Salvador
  • Os interessados pela compra também foram detidos

Um casal foi preso em flagrante em Salvador, Bahia, suspeitos de tentar vender a própria filha recém-nascida por R$ 9 mil. Os prováveis compradores da bebê também foram detidos. Os policiais descobriram o caso nesta quinta-feira, 15 de julho, quando a mãe e a filha receberam alta da maternidade.

-Publicidade-

A bebê nasceu na última terça-feira, 13 de julho. Depois da descoberta da venda, ela foi resgatada pelo Conselho Tutelar e pela Delegacia de Repressão a Crimes contra a Criança e o Adolescente (Dercca). Em entrevista ao G1, a delegada da Dercca responsável pelo caso, Simone Moutinho, falou um pouco mais sobre o caso e contou que os policiais receberam uma denúncia na última sexta-feira, 9 de julho.

Casal é preso após tentar vender filha recém-nascida por R$ 9 mil (Foto: Getty Images)

“Recebemos uma denúncia anônima de que uma senhora estava prestes a dar à luz, e que ela iria dar a criança para um casal. Iniciamos as investigações e descobrimos que ela teve a criança no dia”, contou ela.

Ainda de acordo com o que ela disse, a mãe estaria negociando a venda da bebê com um casal de São Paulo, por meio de mensagens nas redes sociais. Os dois homens foram até a capital baiana para fechar o acordo e pegar a bebê. Conforme apontado pelo Dercca, a recém-nascida seria vendida por R$ 15 mil, porém, o valor passou para R$ 9 mil ao final da negociação.

Um dos possíveis compradores chegou a registrar o próprio nome como pai da menina após entrar na unidade de saúde junto com a mãe e fazer a certidão de nascimento em cartório, com o sobrenome dele. Ao saírem da maternidade, porém, os dois foram presos em flagrante. Em seguida, a polícia encontrou o pai biológico da bebê e o outro homem que estava envolvido na compra.

“A negociação foi feita por meio de grupo em um aplicativo. Existem vários grupos de feitos para comercialização de bebês, e esse caso será acompanhado também pela Policia Federal”, contou a delegada, que afirmou que a venda já estava acordada entre eles. Agora, os 4 deverão responder à polícia pelo caso. A bebê está à disposição da Justiça e será acolhida pelo Conselho Tutelar.