Conheça o aplicativo que ajuda pais surdos a entender o motivo do choro do bebê

Os estudos para desenvolvê-lo foram feitos na Universidade da Califórnia, em Los Angeles

O aplicativo ajuda pais com deficiência auditiva (Foto: reprodução/ Getty Images)

Para pais surdos como Delbert e Sanaz Whetter, identificar não apenas quando um bebê está chorando, mas por que pode ser um desafio. Quando estão em outra sala, eles usam câmeras e monitores remotos de ruído para ajudar a ficar de olho em seus dois filhos, mas em alguns casos, essa tecnologia não é suficiente.

-Publicidade-

Agora, um novo aplicativo desenvolvido pelos pesquisadores da Universidade da Califórnia em Los Angeles, nos Estados Unidos, parece ser um verdadeiro divisor de águas para os Whetters, sem mencionar qualquer pai que queira entender melhor por que o filho está chorando.

Chamado ChatterBaby, o aplicativo “analisa os diferentes tipos de frequências que estão no choro e os diferentes padrões de som e silêncio”, explicou Ariana Anderson, PhD, professora assistente na residência do Instituto Semel da Universidade, que liderou o desenvolvimento do aplicativo. “Por exemplo, se um choro tem um longo período de silêncio, é mais provável que o bebê esteja nervoso. Se houver frequências constantes e de alto volume, é mais provável que o bebê esteja com dor”, explicou. 

-Publicidade-

“A tecnologia atual alerta os pais quando há um som vindo de uma criança, mas não distingue que tipo de som é”, disse Ariana. “Isso categoriza os choros para dizer aos pais se o bebê está com fome ou agitado ou, com mais de 90% de precisão, pode determinar se um bebê está chorando porque está com dor“.

As informações no banco de dados podem ajudar a orientar especialistas e pais em direção a outros padrões e associações relacionados ao desenvolvimento infantil, como o transtorno do espectro do autismo. Há um link claro, pois a Universidade aponta que a pesquisa mostrou que bebês em risco de autismo apresentam padrões anormais de choro antes mesmo de serem diagnosticados.

Ariana e sua equipe usarão o ChatterBaby em breve para um novo estudo sobre a relação entre padrões de choro e risco de autismo em crianças ouvintes e surdas. “Este estudo é único porque leva o laboratório para o participante, em vez de o participante para o laboratório”, contou. “É aberto a qualquer pessoa disposta a baixar o aplicativo ChatterBaby em seus dispositivos iPhone ou Android, gravar cinco segundos dos gritos de seus bebês e enviá-los ao banco de dados”.

Muito interessante, né?

Leia também: 

Motorista de aplicativo ajuda passageira com bebê de colo e compra roupas para o menino

Pais recebem carta de vizinho reclamando de choro do bebê: “O mundo não para só porque você teve filhos”

Marcos Mion comemora aprovação da Lei Romeo Mion para pessoas com autismo

    -Publicidade-