Empatia! Diretor corta cabelo de aluno na escola para ele não se sentir inseguro

Jason Smith viralizou na web após ajudar estudante superar insegurança e se provou um verdadeiro líder

Resumo da Notícia

  • O diretor de uma escola nos Estados Unidos viralizou após demostrar empatia por uma das crianças da escola onde ele trabalha
  • Jason Smith ajudou o jovem a superar insegurança após não gostar de corte de cabelo
  • Ao cortar o cabelo do menino, Smith se provou um verdadeiro líder

Jason Smith, diretor de uma escola nos Estados Unidos, viralizou após um ato cheio de empatia por uma das crianças do colégio no qual ele trabalha. O menino parou na sala dele após se recusar a tirar o chapéu durante a aula. Quando Jason questionou o motivo o menino disse que tinha acabado de cortar o cabelo e se sentia inseguro por não ter gostado do corte.

-Publicidade-

O educador entendeu a falta de confiança do menino e se ofereceu para corrigir o corte e deixar do jeito que o menino gostava. “Eu tenho cortado cabelos a maior parte da minha vida. Joguei basquete universitário, cortei o cabelo dos meus colegas de time antes dos jogos e corto o cabelo do meu filho há 17 anos. Então, já que eu tinha tesouras e maquininhas profissionais em casa, eu disse: ‘Se eu for para casa e pegar a tesoura e consertar o corte, você vai voltar para a aula?’ Ele disse: ‘Sim, eu vou’”, explicou o diretor Smith.

O diretor cortou o cabelo do aluno e o vídeo viralizou pela empatia do educador (Foto: Getty Images)

Depois disso o menino agradeceu pelo corte, se desculpou pelo comportamento e foi para a aula mais confiante e feliz. Como diretor, Jason disse que esse tipo de insegurança entre os alunos é mais do que comum, e por isso precisou amadurecer bastante a posição de líder que ocupa ao longo dos anos na profissão.

-Publicidade-

Embora um corte de cabelo perfeito possa parecer trivial para alguns, Jason entende que, para um garoto, isso pode significar o mundo. “Essa idade é uma época em que a aceitação dos colegas é enorme. Então, para um jovem, especialmente um jovem afro-americano, ter uma boa aparência, se representar e se apresentar é ótimo para as crianças”, concluiu ele.