Empregada diz que Henry estava com ‘cara de apavorado’ após agressões de Jairinho

Em um novo depoimento, Leila Rosângela de Souza Mattos deu novas informações sobre o caso e disse não ter lembrado de ‘tais acontecimentos’ na primeira declaração à Polícia da 16ª DP

Resumo da Notícia

  • Em um novo depoimento, Leila Rosângela de Souza Mattos deu novas informações sobre o caso
  • Emprega disse não ter lembrado de 'tais acontecimentos' na primeira declaração à Polícia da 16ª DP
  • Leila contou a reação do menino após agressões de Jairinho

Em um novo depoimento para a Polícia da 16ª DP na Barra da Tijuca, nesta quarta-feira, 14 de abril, a empregada doméstica Leila Rosângela de Souza Mattos deu novas informações sobre o caso do menino Henry Borel, 4 anos. A funcionária de Jairinho, e Monique Medeiros já havia prestado uma declaração na mesma delegacia no dia 23 de março.

-Publicidade-
Caso Henry: Empregada conta reação do menino após agressões de Jairinho (Foto: Reprodução/TV Record)

De acordo com o Extra, Leila contou estar no apartamento do casal no dia 12 de fevereiro — data em que a babá narrou as agressões para a mãe do menino por mensagens — e afirmou que o menino saiu com “cara de apavorado” do quarto onde estava com o padrasto. Monique Medeiros e Jairinho seguem presos pela morte da criança, que aconteceu no dia 8 de março.

A empregada disse que o médico chegou no apartamento por volta de 15h15. No momento, Henry estava no sofá, saiu correndo, pulou no colo do padrasto e o abraçou. De acordo com Leila, ela e a babá Thayna de Oliveira, estranharam o comportamento do menino, que chegou a ligar para Monique para contar sobre as agressões que sofreu de Jairinho.

Em seguida, Leila diz que Jairinho chama Henry para o quarto para mostrar algo que ele comprou para viajar. Após o garoto sair do quarto, a empregada negou ter visto Henry relatar à babá que levou “bandas” e “chutes” de Jairinho, e afirmou que, mesmo que Thayna tenha perguntado à criança sobre o que acontecera no quarto, ela não ouviu o menino responder.

A funcionária ainda relatou que o menino disse estar mancando por ter “caído da cama” e pediu para não ter os cabelos penteados, pois a “cabeça doía”. Leila disse ainda ter ligado para babá duas vezes para ter notícias de Henry pois ‘estranhou esses acontecimentos’. Apesar disso, a empregada diz não ter comentado sobre o assunto depois daquele dia.

Durante o depoimento, Leila ainda disse que após a viagem da família no carnaval, ao falar com Monique por telefone, a ex-patro disse que Henry havia tido “um surto com Jairinho” e que “foi a maior discussão”, mas que ela conseguiu acalmá-lo. Leila ainda afirmou não ter comentado as informações na primeira declaração por não ter se recordado de ‘tais acontecimentos’.

Henry fez videochamada para contar à mãe sobre agressões de Jairinho, diz babá

A mãe de Henry Borel, Monique Medeiros foi avisada pelo próprio filho que estava sofrendo agressões de Jairinho. Segundo o novo depoimento da babá à polícia na 16º DP da barra da Tijuca, o menino de 4 anos fez uma videochamada para contar para mãe sobre o ocorrido.

Caso Henry: menino fez videochamada para contar à mãe sobre agressões de Jairinho (Foto: Reprodução/TV Record)

A babá, admitiu que a mãe do menino sabia das agressões e que havia pedido para ela mentir em um primeiro depoimento. A babá ainda disse que não falou antes sobre o ocorrido por medo de Jairinho, que foi preso junto a esposa, no dia 8 de abril.

“Por chamada de vídeo, relatou à mãe as agressões sofridas, exatamente como havia feito à declarante, pedindo que Monique chegasse logo”, disse o relatório do depoimento de Thayná Oliveira à polícia, segundo informações do O GLOBO.

Depois da ligação de Henry para a mãe, Dr. Jairinho teria voltado para casa a brigado com a criança, dessa fez na frente da ex-funcionária. Segundo a babá, ele estava irritado e chegou a tentar puxar o menino, mas não conseguiu. “Henry, o que falou para a sua mãe, você gosta de ver sua mãe triste com o tio? Você mentiu para a sua mãe?”, teria dito Jairinho, de acordo com o depoimento.

Babá de Henry presenciou três episódios de agressões de Jairinho

Thayna ainda contou em depoimento que desde que começou a trabalhar para o Monique e Jairinho —  no dia 18 de janeiro —  ela teria presenciado três episódios de agressão que Henry sofreu do padrasto, que aconteceu no mês de fevereiro.

Um dos primeiros episódios foi no dia 2 de fevereiro, quando Monique estava no futevôlei. Segundo a babá, Henry teria chamado pela mãe, então Jairinho saiu do quarto do casal e foi até onde estava a criança. O padrasto chamou a criança de mimada e em seguida levou o menino para conversar no quarto do casal, onde passaram cerca de 30 minutos com a porta fechada.

No mesmo dia a babá disse que após a escola e na brinquedoteca, Henry não quis brincar com as outras crianças, pois estava com dor no joelho. Ela ainda afirmou que avisou Monique, que disse que o filho poderia estar inventando.

Já no dia 12 de fevereiro —  mesmo dia em que a babá mandou as mensagens para Monique  —  Thayná disse que Jairinho ficou 10 minutos com Henry trancado no quarto. Quando o garoto saiu, reclamou de dor no joelho e ao questioná-lo sobre o que aconteceu, o menino disse para a babá que tinha sido por causa da ‘banda’, sem dar detalhes. Logo em seguida o padrasto saiu e Henry disse que u as agressões sempre acontecia, mas que Jairinho mandou não contar se não ‘ia pegar ele’.

Na última semana de fevereiro ela presenciou o terceiro episódio. Segundo Thayná, Jairinho chegou inesperadamente e chamou Henry para o quarto. Quando o menino saiu, ela tentou perguntar o que tinha acontecido e após relutar para responder, Henry disse que havia caído da cama e estava com a cabeça doendo.

Thayna ainda fez um vídeo do menino mancando e enviou para Monique, e que depois a mãe pediu para que ela ligasse por vídeo para falar com a criança. Neste momento Henry teria falado pessoalmente para mãe o que aconteceu. Na troca de mensagens Monique chega a dizer que iria colocar câmeras escondidas no quarto.