Falar e escrever sobre gratidão aumenta a regulação emocional e felicidade da família

É importante demonstrar os seus sentimentos na prática. Além de fazer bem para você, também fará para a outra pessoa

Resumo da Notícia

  • Um estudo mostrou que escrever sobre gratidão ajuda na regulação hormonal
  • Conversamos com uma psicóloga para entender os benefícios dessa prática
  • O momento atual nos convida a refletir e mudar certos hábitos
É importante expor os seus sentimentos (Foto: iStock)

Você já parou para pensar em quanta coisa tem para agradecer na vida? De acordo com uma pesquisa feita pelo Laboratório de Neurociência Cognitiva e Social, a sensação de gratidão promove muito mais benefícios do que o bem-estar em si. Os especialistas concluíram que escrever sobre esse sentimento aumenta a eficácia da regulação hormonal, que é um dos principais mecanismos para promover benefícios na vida das pessoas, tanto físicos quanto emocionais. 

-Publicidade-

Para chegar a esse dado, participaram noventa pessoas, sendo divididas em três grupos: escrever e compartilhar histórias de gratidão, escrever histórias de gratidão e compartilhar situações rotineiras não emocionais. O processo durou quatro semanas para depois ser feita uma tarefa de reavaliação. Assim, se percebeu que os grupos que escreveram sobre gratidão obtiveram os melhores resultados nesse último teste, ou seja, apresentaram melhor regulação negativa de imagens “ruins” quando comparados ao grupo de controle. 

Mostre de alguma forma

Assim, os pesquisadores afirmam que se concentrar em experiências pessoais passadas de gratidão tem efeito positivo na regulação hormonal. Tatiane de Sá Manduca, psicóloga clínica, autora do livro Valida-te e mãe de Mateus, comentou sobre a importância de falar sobre esse tema nos dias atuais: “Está aí um ingrediente importantíssimo para nossa saúde mental e relacional, falar sobre nossas próprias emoções”. A especialista opina que temos recursos suficientes para expor os desejos e sentimentos, mas há uma dificuldade de transmiti-los, seja porque não aprendemos ou temos dificuldade em reconhecer que sentimos. 

-Publicidade-
Com a distância física, você pode inovar na forma de demonstrar seu carinho, como uma mensagem ou ligação de vídeo (Foto: iStock)

“O primeiro passo para construir esse hábito é nomear nossas emoções e sentimentos. Legitimá-lo, compreendê-lo para depois poder expressá-lo”. Isso exige um exercício de introspecção, uma reflexão profunda sobre o que está no seu íntimo. Após esse momento pessoal, você se vira para o outro e consegue demonstrar tudo o que sente, seja através de palavras, cartas, ligação, ou qualquer outra forma que se sentir confortável e afim

Não tem jeito certo, mas o seu jeito

Tatiane de Sá garante que isso é ainda mais necessário diante da pandemia e necessidade de isolamento social. “O momento atual nos ‘auto-intima’ a exercitar a expressão de afetos e nos relacionarmos de maneiras diferentes diante da impossibilidade de exercer o abraço o toque físico de maneira presencial”, explica. Como reforçamos na Pais&Filhos, mesmo à distância, nunca estivemos mais próximos e é necessário, sim, mostrar isso para quem está ao seu redor. 

Essa demonstração de gratidão também é importante com quem você está convivendo dentro de casa. É uma situação complicada, em que existem alguns atritos, mas uma oportunidade perfeita para valorizar a companhia um do outro e perceber o que de fato é importante para você. “A proximidade emocional é o grande  e verdadeiro encontro das relações de afeto”, pontua. 

Quanto antes, melhor

É fundamental que a criança aprenda a demonstrar seus sentimentos desde cedo (Foto: Getty Images)

Valorizar o outro é abrir o caminho para também ser valorizada, segundo Tatiane: “Quando externalizados nossa gratidão damos a oportunidade do outro vivenciar estas emoções e elas fazem bem para a nossa saúde geral”. Esse ensinamento começa desde cedo e dentro de casa. “Quando ensinamos uma criança a agradecer estamos desenvolvendo também a empatia e a consideração pelo sentimento, generosidade e esforço do outro. Muitas crianças aprendem pela ‘polidez’ a dizer obrigada e o quanto antes forem incentivados estes comportamentos, mais fácil será para a criança a compreensão do significado”, acrescenta. É importante que seu filho tenha experiências genuínas de gratidão, que vão muito além de dizer obrigada para processo de socialização e construção da consciência relacional e moral.

-Publicidade-