Feridas na boca: 7 causas, como aliviar a dor e o que fazer para tratar

As feridas na boca podem causar um desconforto enorme, principalmente se vierem acompanhadas por dor ou ardência. Por isso, é muito importante passar pelo tratamento certo o quanto antes

Resumo da Notícia

  • As feridas na boca causam incômodo e podem vir acompanhadas por dor ou ardência
  • Muitas vezes, o problema pode ser relacionado aos hábitos de higiene, estilo de vida ou fatores externos
  • É muito importante descobrir e tratar o quanto antes para que as feridas na boca não atrapalhem o dia a dia da família

Quase todo mundo já teve algum tipo de ferida na boca, podendo incluir lábios, gengiva, bochechas, língua ou céu da boca. Muitas vezes, o problema pode ser relacionado aos hábitos de higiene, estilo de vida ou fatores externos.

-Publicidade-

Seja por causas virais, bacterianas, aftas, irritações ou machucados, as feridas na boca merecem atenção! Muitas vezes, o problema pode desaparecer sozinho, mas é muito importante investigar os possíveis motivos e prevenir para que não aconteça outras vezes. Abaixo, listamos quais são os tipos mais comuns de feridas:

Herpes labial

Geralmente, é a causa mais comum das feridas na boca, podendo formar pequenas bolhas ao redor dos lábios. É possível acontecer em qualquer idade, tanto em homens quanto mulheres, e está diretamente relacionada a queda de imunidade ou ainda excesso de exposição solar. Veja outros tipos de herpes e saiba identificar cada uma delas.

Como tratar: infelizmente, a herpes não tem cura, mas é tratável. Geralmente, regride de 5 a 7 dias, podendo ser usado antivirais tópicos e via oral. Vale lembrar ainda que mesmo com o tratamento, o herpes pode reincidir quando existir um comprometimento do sistema imunológico.

Dependendo das feridas na boca, elas podem causar dor e serem atreladas a outros sintomas (Foto: Shutterstock)

Dermatite perioral

É bastante semelhante a acne leve e ocorre por causa do uso de máscaras, alergias e alimentos. Apesar de não ser rara, a dermatite perioral pode permanecer por longos períodos, causando certo incômodo ao paciente.

Como tratar: o recomendado é passar por uma consulta com o dermatologista, que pode recomendar produto para acne ou ainda a retirada dos alimentos que provocam a dermatite perioral.

Mucocele

Também conhecida como cisto mucoso, a mucocele é um tipo de bolha, que costuma de formar nos lábios, língua, bochechas ou céu da boca. Geralmente, a principal causa se dá por uma pancada na região, mordidas repetitivas, ou se uma glândula salivar possui algum tipo de obstrução. Possui entre 2 ou 3 centímetros de diâmetro, e não costuma causar dor, exceto quando é acompanhada de algum tipo de ferimento.

Como tratar: a regressão da mucocele costuma acontecer de maneira natural, sem a necessidade de um tratamento específico. Mas, caso a bolha cresça demais e não diminua, pode ser realizado uma microcirurgia para retirar a glândula salivar que provoca o inchaço. O procedimento costuma ser bem simples e não há necessidade de internação.

Aftas

A pequena úlcera, também conhecida como afta, pode surgir em diversos pontos da boca. Geralmente, esse problema costuma ser bastante dolorido, principalmente na hora de ingerir alimentos. Além disso, a afta também pode causar febre e cansaço em casos mais graves.

É estimado que esse problema seja mais comum em homens do que em mulheres. Felizmente, elas costumam desaparecer naturalmente. Se continuarem na boca por mais de três semanas, é muito importante que a família procure por um médico, que irá investigar as possíveis causas.

Como tratar: por mais que a afta desapareça sozinha, o médico pode recomendar medicamentos e pomadas tópicas, que ajudam a reduzir a inflamação e também aliviar a dor do paciente. Além disso, é possível ser feito bochechos, analgésicos e anti-inflamatórios.

Sapinho (candidíase oral)

Conhecido também por monilíase, ou candidíase oral, o sapinho é um problema bastante comum em bebês nos primeiros meses de vida. Causada pelo fungo Candida albicans, o principal sintoma são as manchinhas brancas que costumam aparecer na boca do bebê. Saiba mais sobre as causas de sapinho.

Como tratar: geralmente, o tratamento para sapinho é realizado a partir de pomadas ou soluções antifúngicas aplicadas por toda a mucosa oral do bebê ou criança. Mas, é importante reforçar que o autotratamento não é recomendado e é necessário avaliação médica. Alguns casos podem exigir tratamento sistêmico e às vezes tratamento conjunto da mãe, caso a criança esteja em aleitamento materno.

Geralmente, no caso das aftas, é mais comum que elas apareçam em homens do que mulheres (Foto: Reprodução Freepik)

Doença de mão-pé-boca

A doença contagiosa costuma afetar, principalmente, crianças menores de cinco anos. Causada pelo vírus Coxsackie, os sintomas incluem bolhas dolorosas e vermelhas na boca, língua e gengivas, além de febre, mal-estar, vômito e ausência de apetite. Podem aparecer ainda manchas nas palmas das mãos e solas dos pés, nádegas e área genital.

Como tratar: o tratamento para a doença tem o objetivo de aliviar os sintomas e deve ser feito apenas com a orientação de um pediatra. Geralmente, as bolhas e manchas costumam desaparecer uma semana após o início da medicação.

Estomatite herpética

É uma infecção bastante comum em crianças. Apesar da estomatite herpética ser parecida com as aftas, costumam ser acinzentadas ou amareladas por fora e vermelhas no centro. Os principais sintomas são as feridas nas gengivas ou interior das bochechas, que pode vir acompanhado de sangramento, dor na boca, irritabilidade, febre e inchaço.

Como tratar:  podendo durar entre 10 e 14 dias, é realizado com remédios antivirais, em comprimidos ou pomadas. Se houver dor intensa, pode ser necessário o uso de analgésicos. Para evitar o desconforto, realize uma alimentação mais líquida ou pastosa, como sopas, mingaus, purês, entre outros.

Fontes: Dra. Maria Paula Del Nero, Dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e Dra. Karine Riserio, pediatra do Centro Médico Berrini, filha da Zenilda Riserio e Odair Rodrigues