No Distrito Federal, filhos descobrem que mãe não resistiu à covid-19 horas após enterro do pai pelo vírus

Os idosos de 65 e 67 anos estavam junto há 40 anos e morreram em um intervalo de dois dias. Segundo familiares, a mulher estava esperando por leito na UTI quando não resistiu

Resumo da Notícia

  • Uma família de Sol Nascente, no Distrito Federal, enfrentou luto em dobro ao perder ambos os pais para a covid-19 em um intervalo de 48 horas
  • Logo após o sepultamento do pai, os filhos receberam a notícia da perda da mãe
  • O filho do casal contou que o pai não resistiu na madrugada do dia 1º de abril, e a mãe, no sábado, 3 de abril

Uma família de Sol Nascente, no Distrito Federal, enfrentou luto em dobro ao perder ambos os pais para a covid-19 em um intervalo de 48 horas. Logo após o sepultamento do pai, Antônio Ferreira Nunes, de 67 anos, os filhos receberam a notícia da perda da mãe, Francisca Leite Nunes, de 65 anos.

-Publicidade-

A idosa estava internada no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e, segundo familiares, ela não resistiu à espera de um leito da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Nesta segunda-feira (5), a taxa de ocupação é de 98% e 356 pessoas aguardavam por uma vaga.

Antônio Ferreira Nunes, de 67 anos, e Francisca Leite Nunes, de 65 anos, perderam a vida pela covid-19 com horas de diferença (Foto: reprodução/ G1)

O filho do casal, o cabeleireiro Demir Nunes, de 40 anos, contou que Antônio não resistiu na madrugada do dia 1º de abril. E a mãe, no sábado, 3 de abril. O casal já estava junto há 40 anos. “Quando estávamos no cemitério, a médica ligou e disse que minha mãe tinha sofrido uma parada cardíaca. Quando chegamos em casa, ela ligou falando que minha mãe tinha falecido”, contou Demir.

-Publicidade-

Segundo o cabeleireiro os dois haviam sido contaminados pela doença juntos e, apesar do pai já estar recuperado do vírus, perdeu a vida por complicações da doença. Já dona Francisca ainda estava em tratamento no hospital. “Não têm palavras para descrever a dor. Perder os dois de uma vez é uma dor gigantesca. Essa doença não é brincadeira”, desabafa. O casal, que nasceu no Maranhão, tem outros três filhos e segundo Demir, uma tia também já havia sido vítima da covid-19, dias antes do pai falecer.