Garoto de 7 anos é abusado por funcionário da escola e fica com lesões, segundo Polícia Civil

O garoto foi internado por conta de lesões no corpo e segundo a polícia civil, o funcionário era um terceirizado da escola

Resumo da Notícia

  • Menino de 7 anos sofreu abuso sexual
  • Investigações estão sendo feitas e apontam que o crime foi na escola
  • O ato foi praticado por um funcionário terceirizado da instituição

Um menino de sete anos sofreu abuso sexual dentro de escola, em Munhoz de Mello, no Paraná, e laudo do IML confirma a suspeita, segundo o portal G1 e a polícia civil. O suspeito pelo ato está preso.

-Publicidade-

Segundo o delegado do caso, Alysson Tinoco, foi feita uma denúncia pelo próprio pai da vítima, alegando que o suspeito é um funcionário terceirizado da escola. Devido às lesões por conta do estupro a criança foi internada no Hospital Universitário de Maringá. Ainda, segundo informações de Alysson, o laudo médico também apontou lesões do menino.

Conforme as investigações que vem sendo feitas, aconteceu uma queda de energia na escola onde a criança estuda e todos os alunos foram para o pátio. Uma das maiores suspeitas é que nesta hora, o funcionário levou a criança para o banheiro, onde aconteceu tudo.

O crime aconteceu no dia 31 de maio no entanto, o suspeito foi preso somente semana passada, em Imbiaçaba, distrito de Santa Inês.

Mãe tira filho de escola após ele ser proibido de ir ao banheiro e sofrer humilhação
As suspeitas apontam que o ato aconteceu no banheiro (Foto: Getty Images)

“Foi um ato libidinoso diverso de uma conjunção carnal. O ato que foi praticado, no caso, não deixaria vestígios, foi um ato praticado com as mãos da mesma forma que a criança relatou, então, não teria algum DNA para ser coletado. Promovemos as diligências pertinentes, e para a gente ficou conclusivo tanto que o crime aconteceu quanto da autoria”, falou o advogado.

Segundo a polícia, a justiça mudou a prisão temporária dele por prisão preventiva. Mesmo sendo interrogado, ele se negou a ter cometido o crime. O homem está na cadeia de Mandaguari, onde ficam acusados de crimes sexuais.