Giba tem prisão decretada pela Justiça por falta de pagamento de pensão alimentícia dos filhos

O ex-capitão da seleção de vôlei vive um processo de execução de pensão alimentícia para os filhos Nicoll, de 16 anos, e Patric, de 12 anos, no valor de R$ 300 mil

A 7ª Vara da Família do estado do Paraná decretou a prisão de Giba, ex-capitão da seleção brasileira masculina de vôlei, por causa de um processo de execução de pensão alimentícia para os filhos Nicoll, de 16 anos, e Patric, de 12 anos, no valor de R$ 300 mil.

-Publicidade-
Giba tenta desde 2017 uma revisão dos valores da pensão alimentícia para os filhos (Foto: Reprodução/Instagram)

A juíza determina o pagamento integral do valor devido desde março de 2018. A ação é movida pela mãe, Cristina Pirv, representante legal das crianças e ex-mulher do jogador. Atualmente, Cristina, que também foi jogadora de vôlei, mora com os filhos na Romênia, seu país natal.

Baseado numa perda substancial de rendimentos após a aposentadoria, Giba tenta desde 2017 uma revisão dos valores da pensão alimentícia para os filhos. O Ministério Público do Paraná deu um parecer favorável ao ex-jogador para a redução da pensão, mas, ainda assim, a juíza do processo seguiu com a ação de execução e determinou o pagamento imediato do valor integral devido desde março de 2018.

-Publicidade-

Há dois anos, para evitar a prisão, Giba precisou pedir um empréstimo de R$ 90 mil a dois amigos para completar o valor de R$ 150 mil e pagar uma ação movida por Cristina após o pedido de redução dos valores feito pelo ex-jogador. Em entrevista ao globoesporte.com, o ex-jogador de vôlei disse que os valores que recebe como embaixador da Federação Internacional de Voleibol, além de outras fontes de rendimento, são insuficientes para cumprir com o pagamento de cerca de R$ 15 mil (valor corrigido pela inflação ao longo dos anos, originalmente o valor era de R$ 10 mil).

Giba com os filhos Nicoll, de 16 anos, e Patric, de 12 anos (Foto: Reprodução/Instagram)

O ex-jogador diz que não vê os filhos há cerca de um ano. “O que eu realmente quero é o direito de ver os meus filhos… Já faz 11 meses que eu não os vejo. Eu não aguento mais. Que isso possa se resolver o mais rápido possível para que eles tenham uma tranquilidade e quando forem adultos não precisem mais ver essas brigas. No fundo, eles não têm nada a ver com isso. Eu prezo pelo bem e pela segurança dos meus filhos. Pago mais do que a metade do que eles precisam pra viver com conforto. Não aceito ser pintado como esse monstro que ela (Cristina Pirv) tenta criar”, finalizou o ex-jogador de vôlei.

O ex-jogador diz que não vê os filhos há cerca de um ano (Foto: Reprodução/Instagram)

A defesa de Giba alega que Cristina tem condições de dividir os custos mensais das crianças. Por depender da imagem criada nos tempos de jogador para se sustentar, o ex-capitão da seleção brasileira de vôlei afirma também que as ações judiciais movidas pela ex-mulher o deixam numa situação de insolvência financeira. “Cansei de ficar quieto. São sete anos em que eu estou tomando porrada, em que ela procura a imprensa e expõe as crianças divulgando valores de processos que deveriam ser sigilosos. É inadmissível fazer isso com os nossos filhos. Se eu fosse um pai ruim, como ela diz, você acha que as crianças me ligariam todo dia, mandariam mensagem?”, perguntou Giba.

Em agosto deste ano, Giba e a atual mulher, Maria Luiza Daudt, tiveram uma filha, Brianna. Atualmente, o casal e a filha moram na casa dos pais de Maria Luiza, no Rio de Janeiro.