Juliette cai no choro ao falar sobre fama: “Não consigo ser filha como eu era antes”

Em seu documentário, “Você Nunca Esteve Sozinha”, Juliette Freire falou sobre como está se sentindo após a final do BBB21 e a mudança de vida após o programa

Resumo da Notícia

  • Juliete fez um desabafo sobre como está se sentindo após a fama
  • Ela comentou ainda que tem tido dificuldades na vida familiar
  •  O episódio 5 de "Você Nunca Esteve Sozinha" foi ao ar nesta terça-feira (27) no Globo Play

Durante mais um episódio de seu documentário, que foi ao ar nesta terça-feira, 27 de julho, no Globoplay, Juliette Freire ficou emocionada ao falar sobre a fama e a família. Intitulado de “Você Nunca Esteve Sozinha”, a vencedora do BBB21 lembrou de quando a ficha começou a cair após o programa.

-Publicidade-

“Eu não sei se estou em um processo de bloqueio que a ficha caiu, fico analisando. Noto isso quando as pessoas falam de mim com estranhamento e deslumbre (…). ‘O que aconteceu com você é um case’, ‘isso nunca existiu’ (…) Quando elas falam, eu entendo que não quero me ver dessa forma”, lembrou Juliette.

Juliette falou sobre como está se sentindo após o BBB 21 (Foto: reprodução / GloboPlay)

A advogada desabafou ainda sobre se sentir um pouco perdida para si mesma: “Fico com medo de falar a parecer que não estou feliz, que não estou satisfeita. Estou muito feliz e satisfeita. Sou capaz de passar tudo isso de novo por ver o que está acontecendo de positivo na vida de todo mundo, das pessoas sendo respeitadas. Mas eu sei que para isso perco um pouco de mim”.

Sobre a família, Juliette disse que tem dificuldade de manter os relacionamentos da maneira em que eram antes. “Não consigo ser amiga como eu era antes, não consigo ser filha como eu era antes. Não consigo ser irmã como eu era… Não consigo ser muita coisa que eu era antes. É um pouco angustiante. Tem uma equipe de muitas pessoas, e cada uma vai cobrar porque é o trabalho dela. O fotógrafo vai cobrar a foto legal, o vídeo vai cobrar um vídeo legal, o documentário vai cobrar um horário legal, a música, uma publicidade. Todo mundo tem o seu pedacinho [de mim]. Mas todos esses pedacinhos são tirados de mim. Esse é o peso de uma vida artística”, concluiu.