Juntos para sempre: esqueletos que seriam um casal são encontrados abraçados há 1.500 anos

Pesquisador afirma ser o primeiro casal encontrado assim no país

Resumo da Notícia

  • Casal de esqueletos abraçados foi encontrado por arqueólogos no norte da China.
  • Pesquisador disse que foi o primeiro casal encontrado na China abraçado, mas não seria algo raro.
  • O casal estava bem preservado.

Casal de esqueletos abraçados foi encontrado por arqueólogos na região norte da China, que foi estimado em cerca de 1.500 anos. O pesquisador, Qian Wang, disse ao portal G1 que eles são os primeiros encontrados dessa forma no país. A descoberta foi publicada no periódico científico “International Journal of Osteoarchaeology”.

-Publicidade-
Foto do esqueleto e reprodução do casal feita por pesquisadores. (Foto: Reprodução/ Qian Wang/ Cortesia)

“Nessa época, a China era bastante liberal —havia tanto casamentos livres (em que homens escolhiam mulheres ou mulheres escolhiam homens) como casamentos arranjados”, disse Wang ao G1. Ele é o principal autor do estudo e um professor associado no departamento de Ciências Biomédicas na faculdade de Odontologia da universidade Texas A&M.

O pesquisador disse que casais enterrados juntos não é raro na China, principalmente para demonstrar afeto. Esses dois em especifico, os arqueólogos que a mulher teria se sacrificado para ser enterrada junto do marido, ou o contrário pode ter ocorrido do homem ter morrido depois, pois seria improvável eles terem falecido ao mesmo tempo.

“Essa é uma sepultura excepcionalmente bem preservada. A preservação depende de muitos fatores, como o formato do jazigo e condições do ambiente. Este é o primeiro sepultamento de um casal em um abraço encontrado em qualquer lugar a qualquer momento na China, e o primeiro a ser descrito cientificamente no mundo”, contou Wang.

O homem tem cerca de 1,61 metro de altura, um braço quebrado, estava sem uma parte do dedo da mão direita e um esporão ósseo, com estimativa que morreu entre 29 e 35 anos. A mulher com 1,57 metro foi encontrada sem problemas ósseos quando morreu e acham ter idade entre 35 e 40 anos. Os pesquisadores disseram que os esqueletos viveram na dinastia Wey, que dominou a região entre 386 e 534.