Mãe de menina com retinoblastoma faz relato sobre visibilidade que Tiago Leifert deu para doença

Ana Carvalho é mãe de Antonella, e reconheceu a G1 a importância de um apresentador falar, em rede nacional, sobre uma doença tão rara e que prejudica a vida das crianças

Resumo da Notícia

  • Mãe de menina com retinoblastoma faz relato sobre visibilidade que Tiago Leifert deu à doença
  • Ana Carvalho é mãe de Antonella
  • Ela reconheceu, ao G1, a importância de um apresentador falar, em rede nacional, sobre uma doença tão rara e que prejudica a vida das crianças

Ana é mãe de Antonella, de 1 ano, e que convive com retinoblastoma desde que possui 4 meses de idade. Por causa disso, conversou com o G1 sobre a importância de um apresentador com a visibilidade de Tiago Leifert falar abertamente sobre a doença e o diagnóstico.

-Publicidade-

Ana admitiu que percebeu que havia diferente com a filha quando ela não focava mais em pontos específicos e tinha sensibilidade à luz.

“Com três meses a gente observou um reflexo esbranquiçado (leucocoria) no olho direito dela, mas nós achávamos que era o reflexo da luz que só aparecia no direito e no esquerdo não aparecia. A gente notava que ela tinha uma sensibilidade à luz solar e um leve desvio no olho, mas passou despercebido porque a gente achava que era normal, nós somos pais de primeira de viagem, e como todos os testes que ela fez deram normal, não fomos atrás”, relembrou ainda.

Ana falou sobre o diagnóstico da filha
Ana falou sobre o diagnóstico da filha (Foto: Reprodução/ ayza Mourão/ g1 PI)

Por isso, Ana ainda admite que o choque inicial foi grande – e que foram muitas consultas em diferentes especialistas até que, finalmente, aceitasse e entendesse o diagnóstico de Antonella. “Foi muito difícil no começo, mas a gente tenta se manter forte por conta dela. Para mim foi tudo muito novo, eu não sabia que existia câncer em bebê”.

A mãe ainda ressalta, assim, que o depoimento de pessoas influentes como o apresentador Tiago Leifert pode ser decisivo na hora de entender e até perceber o diagnóstico. “São muitas crianças com o mesmo problema que a minha, é uma coisa ruim, mas serve de alerta para os pais observarem nos filhos. O poder de influenciar outros pais é muito grande, já que muitos terão informações a partir de agora. Apesar de triste, é importante essa visibilidade dada por eles”.

Ana, enfim, garante que a filha está reagindo bem ao tratamento e está saudável – mesmo não estando 100% curada. “A Antonella não esá curada, mas está muito bem. Mas eu acredito que vai chegar [a cura]. No momento ela está fazendo um tratamento com laser. O olho direito ficou bem depois da quimio, mas o esquerdo está dando trabalho no tratamento”, esclareceu.