Mãe economiza R$ 64 mil após ficar sem comprar roupas novas por 10 anos

Anna Kilpatrick costumava gastar, pelo menos, R$ 480,00 por mês nesse setor, mas decidiu mudar de vida. Ela compartilhou a história para incentivar esse hábito em outras famílias

Resumo da Notícia

  • Anna Kilpatrick contou que resolveu mudar de vida e economizou cerca de R$ 64 mil
  • Isso porque ela parou de comprar roupas novas por 10 anos
  • Segundo ela, é uma atitude positiva para si e para o ambiente

Comprar pode ser viciante, mas Anna Kilpatrick resolveu fazer um teste e ficar algum tempo sem adquirir roupas. A mulher, que é mãe solo de duas crianças, ficou 10 anos sem gastar com nenhuma peça nova.

-Publicidade-
Ela resolveu compartilhar a ideia para inspirar outras mulheres (Foto: Getty Images)

Ela procura lojas de caridade para comprar os itens e revende online. A mãe justifica que a medida também busca ajudar o meio ambiente. Aos 47 anos de idade, a mulher que costumava gastar, pelo menos, £75 (cerca de R$ 480,00) por mês em roupas, se sente orgulhosa da mudança.

Com esse pensamento, Anna economizou £10,000 (cerca de R$ 64 mil) no total, ao longo de 10 anos. Ela também comentou que pede roupas emprestadas e, em último caso, compra roupas usadas.

“É horrível que nós simplesmente jogamos fora as roupas que demandam tanta energia para serem feitas após alguns anos”, justificou em entrevista ao Mirror UK. Ela contou que sente que o guarda-roupa atual é muito mais empolgante e de melhor qualidade do que no passado.

Enxoval do bebê

Está preparando o enxoval ou a lista para o seu chá de bebê? Olha só essa novidade: você pode criar sua lista personalizada com produtos na Amazon, que pode ser compartilhada com amigos e familiares em várias plataformas. Além disso, você também pode ganhar 10% de desconto na compra na maioria dos itens! Saiba mais sobre a ferramenta e veja produtos para o enxoval do bebê CLICANDO AQUI. Para montar a sua lista, acesse AQUI!

Mudança de planos

Anna, que é mãe de um menino de 16 anos e uma menina de 13, mudou a visão sobre os gastos após se mudar para uma vila em 2008, que era mais distante da avenida principal. “Mais pessoas irão começar a fazer isso. Eu preciso enviar essa mensagem para outras mulheres”, defendeu.