Família

Mães ao trabalho: depois de ser demitida, ela se reinventou e voltou realizada ao mercado de trabalho

Andressa perdeu o emprego logo após voltar da licença maternidade, mas isso foi um impulso para ela mudar sua vida

Helena Fonseca

Helena Fonseca ,filha de Bethania e Paulo

(Foto: Acervo pessoal)

(Foto: Acervo pessoal)

Mais uma história que chega no projeto “Lá em Casa é Assim”, parceria da Pais&Filhos com a Natura Mamãe e Bebê, e nos emociona! A gente sabe que às vezes é muito difícil para a mulher retornar ao trabalho depois de se tornar mãe. A Andressa enfrentou a dura realidade de muitas mulheres no Brasil: foi demitida após retornar da licença-maternidade. Ao invés de se abater, isso foi um empurrão para ela se reinventar e se tornar uma empreendedora. Venha conhecer essa história!

“No dia 15/05/2013, exatamente às 15h, eu nasci mãe de uma garotinha doce chamada Manuela. Eu continuei esposa do Fernando, mas parece que, de alguma forma, junto com a placenta também foram para o lixo as minhas certezas como mulher e profissional.

Eu, Andressa Vieira Viçoso Bristotti, sempre muito certa do que queria, não sabia mais exatamente quem eu era. Fui seguindo o fluxo, acabou a licença maternidade, voltei a trabalhar e quando minha filha completou 6 meses de vida eu fui demitida.

Eu não sofri por sair daquela empresa, mas também não tinha certeza se ficar em casa me dedicando exclusivamente a minha filha me faria feliz. Comecei a buscar uma recolocação e o mercado começou a se fechar para mim. Eu que sempre consegui novas oportunidades de trabalho quando buscava, agora ouvia “mas você tem uma filha pequena”, “precisamos de alguém que possa se dedicar ao trabalho”, “não podemos ter alguém que tenha hora para sair”.

Antes de ser mãe eu nunca ouvia essas negativas ou questionamentos sobre a rede de apoio que eu tinha para que eu pudesse me dedicar exclusivamente à empresa. Que mundo era esse que as mulheres precisariam escolher entre carreira ou filhos?

Eu que estava cheia de incertezas sabia pelo menos de uma coisa – não, eu não poderia me dedicar apenas para a empresa e não, eu não quero viver o meu trabalho, amo trabalhar, mas me dedicar exclusivamente ao meu trabalho não é saudável e nem justo com a minha filha.

Fui tentar entender como outras