Menino autista escreve carta de cortar o coração pedindo amigos para Papai Noel: “Me odeiam”

Miguel Kastro viralizou nas redes sociais após a carta pedindo amigos para o Bom Velhinho, escrita em 2018, voltar a circular pelas redes sociais. A história dele tem um final emocionante e de deixar qualquer pessoa mais feliz e com esperanças renovadas

Resumo da Notícia

  • Carta escrita por menino austista pedindo amigos para o Papai Noel viralizou nas redes sociais
  • Ela foi escrita em 2018 mas voltou a circular nas redes em dezembro de 2020
  • A história de Miguel teve um final feliz e hoje ele tem muitos amigos

Miguel Kastro é um menino de 14 anos que possui Transtorno do Espectro Austista e viralizou na última semana com uma carta escrita ao Papai Noel pedindo por amigos. O relato é de partir o coração, e apesar de ter sido feito em 2018, ganhou força por causa das redes sociais.

-Publicidade-

Na época, com 12 anos, Miguel escreveu ao Bom Velhinho para que a situação mudase: “Meu nome é Miguel, tenho 12 anos e sou autista de grau leve. O que eu desejo ganhar de presente de Natal são amigos”, ele disse logo no início da carta.

Carta de Miguel viralizou na internet (Foto: Reprodução Instagram @cristinakastro)

“Brinco na escola sozinho pois as crianças me odeiam por eu ser diferente. Além disso, não gosto de muito barulho pois me deixa desorientado. Por causa da minha condição, sofro bullying e não sou respeitado pelos meus colegas. Meus pais dizem que sou muito inteligente e especial. Por que as outras pessoas não respeitam as outras que são diferentes?”.

Em uma publicação feita no Instagram na época que Miguel escreveu a carta, a mãe, Cristina Kastro, compartilhou com os seguidores que criou uma página no Facebook para que o filho encontrasse mais pessoas que simpatizassem com a história de vida do menino. A “Amigos do Miguel” hoje conta com mais de 11 mil curtidas na rede social e, em seu perfil do Instagram, Miguel conta quem ele é: “Sou o Miguel que pediu amigos de presente para o Papai Noel e ele me deu”.