Mulher descobre que não é mãe biológica da filha de 7 anos por possível troca de bebês na maternidade

Geruza Ferreira, descobriu que não é a mãe biológica da filha após disputa por pensão alimentícia

Resumo da Notícia

  • Mulher descobriu que não é a mãe biológica da filha de 7 anos
  • Segundo a Polícia Civil, houve uma possível troca de bebês na maternidade
  • A justiça está investigando o caso

Geruza Ferreira, do Distrito Federal, descobriu que não é mãe biológica da filha, durante um processo de disputa de pensão. A criança nasceu no dia dia 14 de maio de 2014, no Hospital Regional de Planaltina, onde, possivelmente houve uma possível troca de bebês na maternidade. A justiça ainda está investigando o caso.

-Publicidade-

“A gente vê só isso em novela. Eu nunca vi isso na realidade com os meus 37 anos. Eu nunca vi. No dia que eu vi. Tem que ser eu?”, relatou a mãe. Geruza se separou do ex-companheiro pouco antes da bebê nascer. No entanto, ela afirmou que ele estava presente no dia do parto e que ele foi responsável por registrar a criança.

Mulher descobre que não é mãe biológica da filha
Mulher descobre que não é mãe biológica da filha (Foto: Reprodução / Instagram / Fantástico)

“Ele viu ela raramente, muito pouco. Ele me ligou perguntando se ele podia ir até uma loja comprar um presente para ela. Aí ela chegou a comentar que onde o pai dela levou, tinha furado o dedo dela”, contou ela sobre o pai.

Durante a audiência para definir a questão da pensão alimentícia da filha, o ex-marido apresentou um exame de DNA afirmando que a criança não era filha biológica. Devido ao conflito de informações, foi exigido que a mãe também realizasse o exame, que também constou não ser a mãe biológica.

O advogado, Caio Henrique Nascimento, que está acompanhando o caso, também se pronunciou sobre o assunto: “A mãe hoje está bastante emocionada. Ela relata que houve bastante tumulto. Não teve auxílio médico, não teve apoio de enfermaria. Ela relata também que o nascimento da sua filha, ela estava passando mal e então não teve como ter contato, visualização com a sua filha”.

Geruza entrou na Justiça contra o governo do Distrito Federal e ganhou a ação em 1ª instância. O Ministério Públicou solicitou uma investigação feita pela Polícia Civil, para apurar mais informações sobre o dia do nascimento da criança, para saber o que, de fato, aconteceu.