Nova edição da Pais&Filhos destaca importância da gentileza para toda a família

Que gentileza gera gentileza, a gente já sabe. Mas criar filhos cercados de boas ações pode trazer resultados inimagináveis – para o presente e para o futuro

Resumo da Notícia

  • A nova edição da Pais&Filhos relembra a força da gentileza
  • Que gentileza gera gentileza, a gente já sabe. Mas criar filhos cercados de boas ações pode trazer resultados inimagináveis - para o presente e para o futuro
  • A revista ainda traz reflexões muito importantes sobre a sobrecarga na maternidade e o cuidado com toda a família

É possível acreditar em um futuro melhor? A nossa nova edição te garante que dá para dizer ‘sim’ para essa pergunta sem entortar o nariz e perder as esperanças. Mas, para isso, é preciso relembrar que as próximas gerações têm, sim, o poder de mudar o mundo – basta que sejam incentivadas ao bem desde cedo.

-Publicidade-

A matéria especial desta edição mostra quais são os primeiros passos para uma criação positiva e pautada na gentileza, para que seu filho cresça incentivando não só toda a família, mas o mundo todo. Desde pequenas, as crianças podem ser incentivadas a serem mais gentis e ajudarem o mundo com pequenas dicas, conversas e reflexões que trarão frutos inimagináveis.

A nova edição da Pais&Filhos está no ar!
A nova edição da Pais&Filhos está no ar! (Foto: Divulgação)

Nesta edição, trazemos também uma reflexão curiosa: você já parou para pensar como os bebês sentem o amor? Eles com certeza não conseguem dizer ‘eu te amo’, mas a forma sensível com que os filhos se comunicam com os pais desde o momento em que nasceram é emocionante – e vai te surpreender.

E vale a reflexão sobre os impactos da sobrecarga da pandemia nas mães que trabalham. Afinal, para que você possa trazer filhos mais gentis para o mundo, é preciso muito esforço e dedicação – e isso pode se tornar uma carga pesada demais para carregar sozinha. Assim, a nova edição da revista Pais&Filhos traz também uma reflexão sobre mães sobrecarregadas pelo trabalho doméstico, criação dos filhos e ainda vida profissional.

A rotina estressante dos cuidados com a casa, com a família e com as demandas da rotina mostrou que ao menos 63% delas apresentou sintomas depressivos durante a pandemia, dado este que fez com que a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificasse, ainda em 2020, este grupo como o mais mentalmente vulnerável no período.

Em conversa exclusiva com a Pais&Filhos, Lore Improta retomou este assunto e abriu o coração justamente para a dificuldade de voltar a ser mulher depois de se tornar mãe de Liz. Dançarina e casada com o cantor Léo Santana, ela ainda deu detalhes de fases difíceis do puerpério, como a adaptação à amamentação e até mesmo um diagnóstico de depressão pós-parto.

Para conferir a edição completa, basta baixar o aplicativo Revista Pais&Filhos, para iOS e Android, acessando a PlayStore ou a Apple Store direto do seu celular!