Pai de adolescente que matou mãe e irmão faz apelo para filho sair de clínica de reabilitação

Benedito da Silva foi baleado pelo filho e está paraplégico, mas afirmou que o comportamento do filho foi baseado em influências que ele sofria

Resumo da Notícia

  • Um menino de 13 anos matou a mãe e o irmão por não deixarem ele usar o celular
  • O jovem foi transferido para uma clínica de reabilitação
  • O pai do adolescente pediu para que ele não ficasse internado na clínica

Um adolescente de 13 anos matou a mãe e o irmão de 7 anos a tiros no dia 19 de março. O pai segue internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. Benedito da Silva, 57, foi baleado pelo filho de 13 anos após retirar o celular do menino por conta das notas.

-Publicidade-

O ex-militar pediu a desinternação do filho em depoimento durante uma audiência de instrução, na última sexta-feira (1º), segundo o advogado de defesa, Aylan da Costa Pereira. O menino foi transferido no dia 20 de março para o Centro Especializado de Reabilitação de Sousa, também no Sertão da Paraíba.

Menino de 13 anos mata a família a tiros por não deixarem usar o celular
Menino de 13 anos mata a família a tiros por não deixarem usar o celular (Foto: Reprodução / TV Cabo Branco)

Este é o primeiro depoimento do pai, já que ele não foi ouvido pela Polícia Civil, que encerrou as investigações sobre o caso. Ainda de acordo com o advogado da família, outras pessoas que conviveram com o adolescente em instituições como igreja e escola, também foram ouvidas na audiência.

O advogado não revelou mais detalhes sobre a audiência, já que o caso segue em segredo de justiça. O pai do adolescente permanece internado no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, mas saiu da Unidade de Terapia Intensiva e foi transferido para a enfermaria. Ele ainda está sem conseguir movimentar e sentir os membros inferiores. A precisão é que receba alta médica até o próximo domingo (3).