Pai ilustrador cria super-herói autista inspirado no filho e história em quadrinhos educativa

A paixão de ambos pelo desenho criou uma conexão inseparável de amizade e cumplicidade entre os dois, que resultou no primeiro super-herói afro-latino no espectro

Resumo da Notícia

  • O filho de Led Brashaw, Jake, foi diagnosticado com autismo ao completar 3 anos de idade
  • Usando a arte como terapia, o menino inspirou o pai, que é um ilustrador profissional de quadrinhos a criar uma nova história
  • Os dois criaram um vínculo super forte ao criar o primeiro super-herói afro-latino no espectro do autismo

Tudo começou quando o filho de Led Brashaw, Jake, foi diagnosticado com autismo ao completar 3 anos de idade. Usando a arte como terapia, o menino inspirou o pai, que é um ilustrador profissional de quadrinhos, a criar uma nova história. A paixão de ambos pelo desenho criou uma conexão inseparável de amizade e cumplicidade entre os dois, que resultou no primeiro super-herói afro-latino no espectro do autismo.

-Publicidade-

Segundo o Today, a paixão do filho gerou o desenvolvimento de uma série de quadrinhos chamadas “Jake Jetpulse” – que inclusive já tem 5 livros disponíveis para compra. “Ele começou a se desenhar como esse personagem, era tudo o que ele queria falar”, disse o pai, que é fã de quadrinhos desde criança. A dupla de pai e filho logo estava “pirando” juntos por causa dos desenhos, e logo estavam ambos colaborando na trama.

Jake começou a desenhar um super-herói inspirado em si mesmo quando o pai, Led Bradshaw, começou a incorporar a arte-terapia na rotina diária do menino (Foto: Reprodução/ Today)

“Jake estava na segunda série e teve uma reunião de pais e professores sobre a capacidade dele de se lembrar, como ver palavras e soletrar”, disse Bradshaw. Para ajudar o filho o pai pediu para ver as palavras que as crianças estavam aprendendo para criar cartões divertidos e que o menino se interessasse – e em cada um deles, ele desenhou um super-herói que se parecia com Jake, atuando cada palavra ou atividade.

Essa ideia evoluiu para a série de quadrinhos “Jake Jetpulse”, que combina histórias de super-heróis e atividades educativas. O menino está “envolvido em quase todas as partes” do desenvolvimento dos desenho, segundo o pai, incluindo a criação de personagens e o desenvolvimento dos contextos de cada um. Se uma ilustração não correspondesse à visão de Jake, ele não tinha vergonha de pedir ao parente para redesenhá-la.

A dupla de pai e filho trabalhou junta em cada livro da série (Foto: Reprodução/ Today)

Bradshaw disse que a série ajudou Jake a desenvolver novas habilidades. “O vocabulário dele começou a aumentar e ele ficou mais confiante”, explicou. “Mesmo sendo uma ação colaborativa, é mais como uma carta de amor para o meu filho, onde posso realmente ensiná-lo a ser um bom ser humano, a trabalhar o seu melhor, para fazer o seu melhor”, disse

O projeto ainda teve como finalidade a conscientização sobre o autismo e e promover um senso de comunidade para os pais. Os livros Jake Jetpulse também têm sido usados ​​como ferramentas de aprendizagem por professores. “Como pai, eu queria criar algo para mostrar às pessoas que você não está sozinho. Eu queria mostrar às pessoas que isso não define quem serão seus filhos”, disse. “Existem indivíduos incríveis e excepcionais que estão no espectro do autismo. Eu queria criar algo que desse esperança às pessoas”, concluiu o pai.