Teste rápido de sangue mostra quem está com Covid-19 em 20 minutos, diz pesquisador brasileiro

Atualmente, teste de sangue mostram quem já desenvolveu anticorpos, após o auge da infecção passar. A proposta dos pesquisadores é oferecer ao mercado uma solução intermediária, mais rápida do que as atuais

Resumo da Notícia

  • Em apenas uma hora ao menos 700 pessoas podem ser testadas
  • Rodrigo Curvello acredita que o teste rápido pode ajudar no processo de reabertura comercial após a epidemia de Covid-19
  • Eles esperam que ele também possa ser usado para detectar um aumento de anticorpos criados em resposta à vacinação para ajudar nos ensaios clínicos
Novos testes estão sendo feitos para ajudar a combater o coronavírus (Getty Images)

O pesquisador brasileiro, Rodrigo Curvello, integra um grupo de cientistas que desenvolveu uma nova técnica de teste de sangue que é capaz de identificar a presença ativa do Sars-Cov-2 em 20 minutos. Ele acredita que o teste rápido pode ajudar no processo de reabertura comercial após a epidemia de Covid-19. “Nós acreditamos sim que esse teste auxilie na reabertura comercial, porque para fazê-lo, não precisa de muitas coisas”, disse Curvello.

-Publicidade-

Ele ainda ressalta que aprimoraram os testes. “Nós não criamos uma nova tecnologia, nós basicamente modificamos um teste que já existe em bancos de sangue de hospitais”, afirmou segundo o G1.

Atualmente, os chamados testes rápidos, baseados na análise de uma gota de sangue em dispositivos semelhantes aos usados nos testes de glicemia, só registram se o paciente já gerou anticorpos (IgG e IgM). Os testes que mostram a presença ativa do novo coronavírus no corpo são aos do tipo molecular, RT-PCR, mais demorados e menos acessíveis.

-Publicidade-

Do tipo sanguíneo à Covid-19

Rodrigo Curvello explicou que é o mesmo tipo de exame feito para identificar o tipo sanguíneo dos pacientes, e por isso, tanto o maquinário como os materiais e reagentes são comuns nos centros de saúde. “É o mesmo teste, com uma pequena diferença, em um reagente específico adicionado para dizer que você está positivo ou negativo para o coronavírus” disse.

Curvello ainda contou a capacidade de se testar em massa, porque, segundo o pesquisador, em apenas uma hora ao menos 700 pessoas podem ser testadas. Mas ele ressaltou que ainda é necessário aumentar os estudos para verificar a confiabilidade do exame em mais pessoas. “Nosso trabalho, neste momento, se preocupou em provar o conceito – é um jargão na ciência, que nós temos que provar que nossa hipótese é confiável”, disse o cientistas. “Nós provamos que realmente o teste funciona. Nos obtivemos 100% de positivos quando era para ser positivo, e conseguimos também 100% de negativos quando era para ser negativo.”

Resultado em 20 minutos

Os pesquisadores da Universidade Monash disseram que o teste pode determinar se a pessoa está infectada no momento e se já teve Covid-19 no passado. Além de Curvello, a equipe da universidade tem outra brasileira, a doutoranda Diana Alves. “Nós testamos em baixa escala e todos os testes comprovaram a presença ou a ausência do vírus”, destaca Diana Alves, doutoranda na Universidade de Monash.

O teste utiliza 25 microlitros de plasma de amostras de sangue para procurar aglutinação ou um agrupamento de glóbulos vermelhos que o coronavírus causa. Centenas de amostras podem ser testadas a cada hora, disseram os pesquisadores, e eles esperam que ele também possa ser usado para detectar um aumento de anticorpos criados em resposta à vacinação para ajudar nos ensaios clínicos.

-Publicidade-