Vacina contra coronavírus já tem preço global sugerido pelos Estados Unidos

Acordo entre o país e as empresas Pfizer e BioNTech estipulam valor que deverá ser seguido entre as outras indústrias farmacêuticas

Resumo da Notícia

  • Valor é uma estimativa que deve ser seguida pelas indústrias farmacêuticas
  • O preço foi estipulado de acordo com um acordo de compra americano
  • Veja o preço:

O governo americano anunciou qual deverá ser o preço da vacina contra o Covid-19. O valor é uma potencial referência a ser adotada pelas outras indústrias farmacêuticas e foi cotado em 39 dólares por duas doses, ou 19,50 a unidade. O número total corresponde a cerca de R$203,00. A declaração dos analistas foi dada à agência Reuters, nesta quinta-feira, 23 de julho.

O preço da vacina foi estipulado com base em um acordo entre o governo americano e a(Foto: Getty Images)

O preço segue a média do custo de outras vacinas antigripais e foi estipulado por em um acordo governo do Estados Unidos com as empresas Pfizer Inc e a BioNTech, responsáveis pela futura fabricação. Segundo o presidente e cofundador do Centro para Medicina de Interesse Público, Peter Pitts, o valor “está dentro da média da sensatez”. O país comprou todas as doses que serão fabricadas em 2020 por 2 bilhões de dólares, o que deve ser suficiente para vacinar 50 milhões de norte-americanos.

Progresso

O diretor-executivo da OMS (Organização Mundial de Saúde), Michael Ryan falou em uma coletiva de imprensa realizada nesta quarta, 22 de julho, a respeito dos resultados preliminares das candidatas à vacina para covid-19. Apesar de demonstrar otimismo, ele pediu que as pessoas sejam mais realistas quanto ao prazo e eficiência da vacina. Ele também ressaltou a importância das medidas para contenção da disseminação do vírus.

“Sendo otimista, estamos acelerando o máximo possível, mas temos de garantir segurança, tomar toda precaução para ter resultado seguro. Mas, sendo realista, será na primeira parte do próximo ano até que comecemos a ver pessoas sendo vacinadas”, contou, em um trecho divulgado pela UOL.

O diretor elogiou a produção das vacinas até o momento, relembrando que as candidatas que chegaram à fase 1 dos testes foram aprovadas, mostrando que são seguras. Ele também parabenizou as pessoas que estão se voluntariando para receber a vacina. Apesar disso, relembrou que alguns detalhes não poderão ser deixados de lado e a vacina precisará ser 100% eficaz. “Teremos de ver quão eficazes as vacinas serão e por quanto tempo durará a proteção. A ideia de que teremos uma vacina em dois ou três meses e de repente esse vírus irá embora, eu adoraria dizer isso para vocês, mas não é realista.”, falou.