Vídeo: Corda que segurava casal em paraquedas se rompe durante esporte radical

O casal indiano estava curtindo o domingo quando, de repente, a corda que os segurava no alto acabou se rompendo

Resumo da Notícia

  • Kathad e Sarla estavam praticando parasail
  • O esporte amarra um paraquedas em um barco
  • O casal está bem, apesar do susto

Que susto! No último domingo, dia 13 de novembro, um casal indiano sofreu um acidente aéreo enquanto praticavam parasail, esporte em que pessoas amarradas a um paraquedas são puxadas por uma lancha. O episódio aconteceu em Diu, cidade da índia.

-Publicidade-

De acordo com um vídeo registrado pelo irmão de Kathad, uma das vítimas do episódio, a corda que ligava ele e a esposa Sarla à embarcação acabou se rompendo quando ambos estavam no voando alto.

“Eu estava gravando o vídeo e não tinha ideia do que fazer quando a corda se rompeu. Eu pude ver meu irmão e minha cunhada caindo de uma grande altura, e nunca me senti tão impotente como me senti naquele momento”, afirmou Rakesh, irmão do acidentado, durante entrevista ao Times of India. Para ver este conteúdo, clique aqui.

Ajit Kathad e Sarla estavam voando quando a corda, de repente, se rompeu
Ajit Kathad e Sarla estavam voando quando a corda, de repente, se rompeu (Foto: Reprodução Rakesh)

Após a corda se romper, é possível escutar Rakesh e o casal gritando desesperados. Em seguida, Sarla e o marido acabam caindo no mar, nas águas na praia de Nagoa. Foi preciso um minuto para o barco localizar as vítimas e salvá-las.

Rakesh contou à imprensa que chegou a notar que a corda que prendia o casal no barco estava fraca, e que chegou a alertar a equipe da Palms Adventure and Water Sports, empresa responsável pela atividade, sobre a segurança do esporte. Os funcionários garantiram que nada aconteceria.

Apesar de nenhuma das vítimas ter sofrido ferimentos graves, Sarla ficou em estado de choque e não conseguiu falar por alguns minutos. A família se direcionou à delegacia logo após o acidente para alertar sobre a negligência da empresa. Eles decidiram não prestar queixa.