Vídeo: equipe médica mostra como estupro cometido por anestesista foi gravado sem que ele notasse

As enfermeiras e técnicas de enfermagem que trabalhavam com o médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra, foram quem filmaram os acontecimentos e flagraram os casos de estupros. A polícia tenta descobrir outras possíveis mulheres que foram vítimas do homem

Resumo da Notícia

  • Anestesista é preso em flagrante por estuprar paciente que passava por parto cesárea
  • Os colegas de trabalho de Giovanni Quintella Bezerra, foram quem filmaram os acontecimentos e flagraram os casos de estupros
  • A polícia tenta descobrir outras possíveis vítimas do médico anestesista. Ao ser preso, o Giovanni permaneceu em silêncio

As enfermeiras e técnicas de enfermagem do Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti, no Rio de Janeiro, conseguiram gravar o momento exato em que o Giovanni Quintella Bezerra cometeu o estupro contra uma paciente deitada na maca. Em entrevista concedida ao portal jornalístico g1, as profissionais de saúde deram detalhes de como realizaram as gravações em vídeo. O médico anestesista foi preso em flagrante na segunda, 11 de julho, e a gravação foi usada como prova criminal.

-Publicidade-

A princípio, as enfermeiras e técnicas de enfermagem desconfiaram da alta dosagem que o Giovanni aplicava nas gestantes e a preocupação exagerada com o local em que ele ocupava durante o parto das parturientes. Além disso, segundo as profissionais, o anestesista ficava posicionado na direção do pescoço e da cabeça da mulher, fazendo movimentos lentos, pra frente e pra trás. E com a posição do braço parecendo segurar a cabeça da vítima na região pélvica dele. Em um vídeo divulgado no Instagram do portal jornalístico g1, é possível visualizar como foi realizada a gravação.

Entenda o caso

O médico anestesista foi preso e autuado em flagrante, durante a madrugada desta segunda-feira, 11 de julho, por estupro. Conforme reportagem do g1, os investigadores informaram que, o Giovanni Quintella Bezerra, abusou de uma mulher enquanto ela estava dopada e passava por um parto cesárea. O caso aconteceu Hospital da Mulher em Vilar dos Teles, localizado em São João Meriti, município na Baixada Fluminense, Rio de Janeiro.

A prisão foi realizada pela delegada Bárbara Lomba, responsável pela Delegacia de Atendimento à Mulher de São João de Meriti. A investigação aconteceu após os funcionários da unidade de saúde filmarem o anestesista colocando o pênis na boca de uma paciente, quando ele participava do parto dela. A princípio, os colegas de trabalho de Giovanni começaram a suspeitar da quantidade de sedativo que ele aplicava nas grávidas.

Já no último domingo, 10 de julho, o médico participou de outras duas cirurgias em salas, onde a gravação escondida era inviável. Mas, na terceira cirurgia do dia, a equipe conseguiu trocar a sala, esconder o telefone e confirmar o flagrante de estupro.

Ainda de acordo com o jornal, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) abriu nessa segunda-feira, 11 de julho, um processo com o intuito de expulsar o anestesista. Ao portal jornalístico, o Clovis Bersot Munhoz, presidente do Cremerj, afirmou que “as cenas são absurdas”.

O médico anestesista foi preso em flagrante
O médico anestesista foi preso em flagrante (Foto: Reprodução / TV Globo)

A Fundação Saúde do Estado do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Saúde, a qual o Hospital da Mulher de Vilar dos Teles, em São João de Meriti, está subordinado, repudiaram em nota a conduta do médico anestesista. “Informamos que será aberta uma sindicância interna para tomar as medidas administrativas, além de notificação ao Cremerj. A equipe do Hospital da Mulher está prestando todo apoio à vítima e à sua família”, informaram.

Por fim, emendaram: “Esse comportamento, além de merecer nosso repúdio, constitui-se em crime, que deve ser punido de acordo com a legislação em vigor”. Agora, a polícia tenta descobrir outras possíveis vítimas do anestesista. Ao ser preso, o Giovanni Quintella Bezerra permaneceu em silêncio.