Notícias

Brumadinho: noivo de grávida desaparecida é encontrado morto. “A Vale matou meu filho”, diz padastro

A família estava aproveitando as férias na pousada que foi atingida pela lama. Sua noiva, Fernanda, está grávida de 5 meses e continua desaparecida

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Luiz morava na Austrália (Foto: Reprodução/Facebook)

Luiz Taliberti de 31 anos era noivo de Fernanda Darmian, de 30 anos. O casal esperava um filho há 5 meses. O arquiteto estava desaparecido junto com a noiva, o pai Adriano Ribeiro da Silva, a madrasta Maria de Lurdes e a irmã Camila Taliberti.

Os futuros pais moravam há 3 anos em Sidney, na Austrália e tinham acabado de chegar no Brasil. Eles estavam passando férias na pousada Nova Estância, que fica próxima a Mina do Feijão, em Brumadinho, quando houve o rompimento da barragem.

O local, que fica perto de onde a barragem foi rompida, foi destruído pela lama. A estimativa é que 35 estavam lá, entre eles, a gestante. “Está sendo muito doloroso para a família, ela é uma pessoa muito especial para todos”, disse a amiga de Fabiana, Gabi Stagine, em entrevista à Pais&Filhos.

“Muito triste, ninguém consegue acreditar ainda. Ela estava muito feliz, grávida de 5 meses, ia marcar a data do casamento. Sem palavras”, escreveu Gabi no Facebook.

Por volta das 11 horas, Fernanda mandou sua última mensagem no WhatsApp avisando que tinha chegado bem. Depois disso, ela não retornou mais.

Familiares reconheceram hoje o corpo de Luiz. Fernanda continua desaparecida. Pelo menos 35 pessoas estavam no local, segundo os Bombeiros. O padrasto de Luiz, Vagner Diniz, fez um post responsabilizando a mineradora Vale pela morte do enteado:

“A Vale matou meu filho. Há quatro horas fomos avisados que encontraram o seu corpo. Ele ia ser pai do meu primeiro neto. Estava radiante com o Lorenzo. Ele me chamava de Godo ou Godinho por causa do meu porte quase atlético. 31 anos de doçura e amor a natureza. Escolheu a Austrália para uma carreira de arquiteto de sucesso.

Mas, a sirene não tocou. A gerente da pousada nos contou que todos estavam muito preparados para emergência e rotas de fuga. Em cinco minutos todos estariam seguros. Mas a sirene não tocou.

Como a sirene, estamos em um silêncio de dor.

‘Ainda que eu ande pela Vale da morte, temerei todos os males’

Luiz, você é minha vida para sempre.”

Até agora, a Defesa Civil, confirmou a morte de 86 pessoas e 276 pessoas desaparecidas.

Leia também:

Filho de homem desaparecido em Brumadinho faz vaquinha para tentar chegar à cidade

José Loreto posta foto com a filha e desabafa sobre Brumadinho: ”Meu coração chora”

Grávida de 5 meses está entre os desaparecidos em Brumadinho: “Ninguém consegue acreditar ainda”