Camila Coelho comemora gravidez em fotos com barriga à mostra

A influenciadora digital compartilhou a notícia com uma sequência de fotos no Instagram e um texto falando sobre o sentimento ao realizar esse sonho

Resumo da Notícia

  • Camila Coelho está grávida
  • A influenciadora compartilhou a notícia junto de fotos
  • Ela está com 23 semanas e comentou que é a realização de um sonho

Camila Coelho está grávida! A influenciadora digital compartilhou a notícia por meio de uma publicação no Instagram, já com fotos da barriga à mostra (e já é possível perceber uma barriguinha de gestação).

-Publicidade-
Camila Coelho está grávida do primeiro filho
Camila Coelho está grávida do primeiro filho (Foto: reprodução/Instagram/@camilacoelho)

Na tarde deste domingo, 3 de abril, ela escreveu: “Quando o maior sonho da sua vida se torna realidade!!! Tem sido as 23 semanas mais felizes da minha vida! Depois de uma jornada sensível, com diferentes medos e muitas frustrações devido à minha epilepsia, Deus nos abençoou com o presente mais especial da vida, o que mais sonhamos – o nosso BEBÊ! Estou muito feliz em finalmente compartilhar com vocês!”.

Camila já havia desabafado sobre a dificuldade de engravidar por conta da epilepsia. Em fevereiro de 2020, em entrevista à Revista People, ela abriu o coração. Isso porque a empresária fazia uso de diversos medicamentos há mais de 20 anos que aumentam as chances de anomalias congênitas no bebê.

Sobre epilepsia

Epilepsia é um transtorno neurológico resultado de pequenas lesões cerebrais. As causas da doença são várias: genética, traumas durante ou após o parto, malformações ou até um acidente vascular cerebral; mas o fato é que quem apresenta essa condição, de tempos em tempos, recebe uma sequência de descargas elétricas que levam a perda de consciência e movimentos involuntários, mais conhecidos como convulsões.

De acordo com o ginecologista e obstetra e pai de Beatriz e Guilherme, dr. Igor Padovesi, ter epilepsia não impede que a mulher engravide: “A única questão é que é ainda mais importante que ela tome o ácido fólico e, dependendo da medicação que usa, aumente a dose dessa vitamina”. Mas para essas pacientes, é sempre importante procurar o seu médico de confiança e garantir um acompanhamento de perto.