Gravidez

Estou grávida, e agora? Conheça os primeiros passos e exames

Junto com todas as emoções, chegam também as dúvidas. Vamos te ajudar nessa fase!

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

(Foto: iStock)

Procurar um obstetra para acompanhar a sua gestação de perto é o primeiro passo (Foto: iStock)

Você descobriu que está grávida, se surpreendeu e contou a notícia pra família toda. Mas, junto com todas as emoções, chegam também as dúvidas: “Será que o meu bebê está bem? E agora? O que devo fazer?”. Além de toda a comemoração e do momento de montar o enxoval e preparar o ninho, é hora de se cuidar também!

Procurar um obstetra para acompanhar a sua gestação de perto é o primeiro passo. Ele será o responsável por identificar qualquer possível complicação e te ajudar com tudo o que vai acontecer dentro da sua barriga até o momento do parto. Essa ação preventiva é a melhor maneira de evitar o desenvolvimento de doenças que possam prejudicar a gravidez. Os exames pré-natais devem precisam ser feitos por todas as gestantes, independente de gravidez de risco ou não.

Os cuidados devem começar antes mesmo de engravidar: a recomendação da OMS – Organização Mundial da Saúde – é que a mulher comece a usar ácido fólico na dose de 5 mg ao dia três meses antes de ficar grávida. Esse procedimento ajuda na formação do tubo neural (parte neurológica do embrião) e evita malformações dessa região. É claro que nem sempre a gravidez é tão planejada, mas, se for o caso, vale considerar este cuidado.

De acordo com Desireé Encinas, ginecologista e obstetra da Casita, espaço de convivência humanizado para gestantes no ABC, em São Paulo, o acompanhamento da gravidez saudável deve ser feito da seguinte forma: Até 32 semanas: consultas mensais. Da 33ª à 37ª semanas: consultas quinzenais. A partir da 37ª semana: visitas semanais para avaliar mais de perto o crescimento do bebê e dar maior atenção aos problemas mais comuns do fim da gravidez, como a pressão alta. Confira, os exames recomendados logo durante o primeiro trimestre da gestação:

“Estou grávida, o que fazer?”

Exames recomendados

Beta HCG

Começamos com o Beta HCG, que é o exame que confirma a gravidez. Ele pode ser realizado logo no 1º dia de atraso menstrual. Este exame existe em duas versões: o qualitativo e o quantitativo. O qualitativo aponta apenas se o resultado é positivo ou negativo, enquanto o quantitativo fornece um número através do qual fica mais fácil avaliar se a gestação está evoluindo bem. O quantitativo não é obrigatório, mas recomendável.

Ultrassom obstétrico

Chamado ultrassonografia obstétrica transvaginal, este exame, além de avaliar se há embrião – e quantos – e escutar os batimentos cardíacos (vai que chega mais de um bebê por aí!), é muito importante para datar a gravidez e determinar o provável dia do parto (principalmente no caso de pacientes com ciclos menstruais irregulares). É neste exame também que você verá pela primeira vez o coração do feto.

Exame de sangue

Assim que a gravidez for confirmada, é importante realizar exames gerais para verificar anemia, tipo sanguíneo, diabetes, patologias da tireoide, colesterol e infecções com possível transmissão vertical (da mãe para o bebê durante a gestação).

São eles:

  • Tipagem sanguínea e Coombs Indireto
  • Hemograma completo
  • Glicemia de jejum
  • TSH e T4 livre
  • Sorologias para HIV, VDRL, hepatite B e C, rubéola, toxoplasmose, citomegalovírus
  • Urina, urocultura com antibiograma e exame de fezes.

Se em alguma das sorologias o resultado mostrar IgG positivo e IgM negativo, isso significa imunização – ou seja, por vacina ou por já ter tido a doença, você está protegida. Não se assuste!

Ultrassom morfológico

Exame extremamente importante que deve ser realizado entre a 11ª e a 14ª semana de gestação. Nele, alguns parâmetros são avaliados para estimar a probabilidade de cromossomopatias: é medida a translucência nucal, avaliado o ducto venoso e verificada a presença do osso nasal.

Exames facultativos

Sexagem fetal

Para as pacientes ansiosas para saber se esperam menino ou menina, a partir de 8 semanas de gestação pode ser feito este exame, que determina o sexo do bebê. Ele não é obrigatório nem coberto pelos planos de saúde. Pacientes grávidas de gêmeos só saberão se pelo menos um deles é menino caso apareça a presença do cromossomo Y.

Pesquisa de DNA fetal no sangue materno

Este exame, além de revelar o sexo do bebê, afasta cromossomopatias, que são alterações do número de cromossomos fetais. É um exame caro. Ele pode ser realizado a partir da 9ª semana de gestação.

Leia também:

Check-list: saiba quais são os exames que você não pode deixar de fazer durante a gravidez

Como fazer teste de gravidez caseiro (e rápido!)

7 coisas para fazer antes do parto