Gêmeas siamesas são separadas após mais de 30 horas de cirurgia e pais comemoram

As gêmeas Rabeya e Rukiya Islam, de 3 anos, nasceram unidas pela cabeça

(Foto: Reprodução/Agência EFE/Miklos Bemer/ADPF/AFP)

Uma equipe de médicos da Hungria e de Bangladesh conseguiram separar duas gêmeas siamesas de 3 anos unidas pela cabeça, em uma cirurgia que durou mais de 30 horas.

-Publicidade-

A cirurgia, que aconteceu em um hospital militar de Bangladesh, começou na quinta (1) e aconteceu durante 33 horas de trabalho. As meninas estão sob observação.

“Os médicos nos disseram que as duas evoluem bem e estão em situação estável”, disse o pai das meninas Rabeya e Rukiya, Rafiqul Islam, em entrevista à agencia Efe.

-Publicidade-

O pai agradeceu a ajuda recebida tanto em Bangladesh como no exterior. Na Hungria, as meninas foram preparadas durante 7 meses para a cirurgia e, em 22 de julho, ambas retornaram a Bangladesh.”Hoje nos sentimos aliviados”, comemora o pai, que sabe que o processo de recuperação será longo.

(Foto: Reprodução/EFE/Abir Abdullah)

As meninas nasceram em 16 de julho de 2016 no distrito de Pabna, no norte de Bangladesh. Segundo o pai, os médicos nunca disseram que o casal teria gêmeas e apenas foram informados de que sua filha tinha uma cabeça com um tamanho maior que o normal. “Foi triste quando vimos que as duas meninas tinham nascido com uma só cabeça”, explicou.

Apesar disso, as meninas não tinham problemas para serem alimentadas e agiam normalmente — exceto que quando uma dorme, a outra está acordada, e quando uma ri, a outra chora.

Mais tarde, uma equipe médica do hospital universitário Bangabandhu Sheikh Mujib de Daca começou a avaliar a possibilidade de operar as siamesas, uma cirurgia considerada de grande complexidade para a qual foi pedida ajuda estrangeira.

Leia também:

Gêmeas siamesas separadas em cirurgia completam três anos

Gêmeas siamesas ligadas pela cabeça se reencontram pela primeira vez após cirurgia: “Momento de paz”

Gêmeas siamesas que tinham poucas chances fazem 4 anos e vão à escola!

    -Publicidade-