Menino quase é atingido pela ponta do guarda-sol e mãe alerta: “Foi aterrorizante”

O susto aconteceu na praia de Myrtile Beach, na Carolina do Sul, Estados Unidos

 

-Publicidade-
Henry brincando na praia (Foto/ Reprodução FOX46)

Dia de sol é perfeito para levar a criançada para passear na praia! E é claro que nos Estados Unidos não poderia ser diferente. Por isso, a mãe Ashton Duggan levou o seu filho de 1 ano e 8 meses para brincar na praia de Myrtile Beach, na Carolina do Sul, Estados Unidos, e acabou levando um susto. Seu filho, Henry, quase foi atingido pelo guarda-sol enquanto brincava na areia.

“Você nunca sabe o que pode acontecer e nunca percebemos como a vida pode mudar num piscar de olhos”, disse a mãe ao Fox46. No momento do susto, a mãe estava filmando o filho que estava alguns metros à frente dela com alguns brinquedos. De repente um guarda-sol foi levado pelo vento em direção de Henry. “Do nada o guarda-sol voou e não acertou ele por muito pouco. Foi aterrorizante!”, disse Duggan.

-Publicidade-

O momento durou poucos segundos, mas foi suficiente para deixar a mãe em choque. “Acho que nunca fiquei tão assustada na minha vida”, comentou. Ainda bem que nada de mais sério aconteceu. Ufa!

Após o susto, a mãe decidiu compartilhar o vídeo e aproveitou para alertar outras mães. “Sejam supercientes do que está acontecendo ao redor de vocês. Sempre chequem se o guarda-sol está bem preso! Esse que foi levado pelo vento estava colocado em buraco que não estava fundo o suficiente!”, concluiu Ashton.

Algumas dicas para manter a segurança do seu filho na praia 

1. Hidratação

As altas temperaturas e o gasto de energia com as brincadeiras na praia fazem com que o corpo perca água com mais rapidez. Por isso é importante cuidar da hidratação. Nem sempre as crianças (principalmente as menores) se lembram de pedir algo para beber. A responsabilidade é nossa de cuidar desse setor. O mais indicado é ingerir algum líquido a cada meia hora.

2. Alimentação saudável

Também é preciso ter cautela no momento de escolher os alimentos. Durante as férias é comum as famílias darem aquela escapadinha e acabarem optando por alguns quitutes vendidos nas praias. O problema é que nem sempre são opções saudáveis e bem conservadas. Para que ninguém tenha um mal-estar, opte por alimentos conservados em locais refrigerados e embalagens lacradas. Observe também a data de validade e evite o consumo de frituras e itens que estejam expostos ao sol.

3. Identificação para não se perder

Um instante de distração é suficiente para uma criança se afastar da família em um local público como a praia. Como medida de precaução, o ideal é procurar o posto de salva-vidas logo que chegar à praia e pedir uma pulseirinha de identificação. Além disso é importante conversar com as crianças e orientá-las para não se afastar muito do local onde a família está.

4. Só ir para o mar com um adulto

É comum as crianças ficarem empolgadas para entrar no mar quando vão à praia. No entanto, como elas não têm muita noção de perigo, o que era para ser um momento gostoso pode se tornar um problema. Por isso, a regra é clara: crianças só devem ir para o mar na companhia de um adulto.

5. Protetor solar

Durante os seis primeiros meses de vida o bebê não deve ser exposto diretamente ao sol, pois a pele muito fina pode queimar facilmente. A partir dos seis meses, o sol está liberado por 5 a 10 minutos diários, pela manhã cedo (antes das 10h) e no fim da tarde (após as 16h), com protetor solar. A partir dos 6 meses é permitido e importante que o bebê tenha contato com a luz solar, pois, por meio dos raios do tipo UVB, o organismo da criança obtém  vitamina D e, com ela, melhora a absorção do cálcio, fortalecendo os ossos e prevenindo o raquitismo. Até os 5 anos de idade, recomenda-se o uso dos filtros infantis, que geralmente contêm menos substâncias químicas capazes de induzir a sensibilização da pele da criança. O filtro solar ideal é o que protege da radiação UVA e UVB, e têm no mínimo FPS 30 (fator de proteção solar). Eles precisam ser reaplicados regularmente depois que a criança sai da água, ou quando ela sua muito”, explica a dermatologista da Unimed Rio, Paula Ramalho

6. Cuidados com alergia

O contato da areia com a pele das crianças também pode causar alergias, micoses e dermatites. Uma boa atitude é carregar um pouco de água potável para higienizar a pele das crianças quando forem brincar na praia. Fique de olho na hora que as crianças estiverem fazendo castelos de areia, pois podem haver fezes de animais ou contato com bichos geográficos.

Leia também:

Atenção nas praias! 50 crianças se perdem por dia somente no Espírito Santo

Nem precisava, mas tá comprovado: praia faz bem à saúde

Verão pede uma praia e a gente te mostra alguns conjuntos para seu filho curtir protegido

-Publicidade-