Pai que é pai cansa

A paternidade ativa dá trabalho, porém, se desempenhada de fato também traz muitos benefícios para você e seus filhos

“Na moral, cansei”, diz a música que meu caçula escuta repetidas vezes. Pronto, me identifiquei. Sei que você sabe, mas preciso reforçar: ser pai emociona, encanta, transforma. E cansa demais. Quando a gente engravida ou adota, empolgados e emocionados, ninguém nos conta que passaremos alguns anos repetindo frases lindas como: “Sim, tem que escovar os dentes três vezes ao dia!”, “porque sim!” ou, a minha preferida, “você não é todo mundo!”.

Ser pai é uma tarega cheia de prazeres, mas dá trabalho
Ser pai é uma tarega cheia de prazeres, mas dá trabalho (Foto: iStock)

Nossos filhos também repetem frases edificantes: “Tu que quis ter filho.”, “só hoje! Juro!” e “tu é o pior pai do mundo!”. Ser pai cansa. Exaure. Esgota. Justamente nessa canseira diária das coisas bobas. Mas então, você, meu querido leitor e minha dedicada leitora, deve estar se perguntando: se cansa tanto, por que a gente segue tendo filho? E mais, por que repetimos que ser pai é o melhor papel da nossa vida?

Ora, meus caros, porque são exatamente eles, esses moleques, que recarregam nosso espírito para os próximos desafios. São os filhos que nos fazem enxergar além. São eles que nos transformam. Quando permitimos, nos tornamos pessoas melhores ao exercer de verdade a paternidade e a maternidade.

Porque algumas batalhas valem a pena e a parentalidade é uma dessas lutas que compensam. O que não podemos esconder dos Manuais é a canseira envolvida.

Repara: ninguém repete “entra no banho logo!!” todos os dias (todinhos, só podendo pular nos dias gélidos aqui do Sul) para o filho fujão da água sem uma dose de estresse. Sem contar que logo em seguida, vamos travar mais uma batalha para a criatura sair do banho! E aí você vai repetir: “Mas você nem queria entrar! Agora não quer sair??”.

Cansa, mas atenção! Desconfio que a rotina e a garantia dessa troca de amor é o segredo para seguirmos procriando. Só pode! Mas só cansa se for de verdade. Só nos deixa acabados no fim de um dia se tiver entrega verdadeira. Pai que só ajuda não cansa. Pai que é pai, esse sim, cansa. Pai bissexto não tem o direito de falar em cansaço, fadiga ou exaustão.

E como dizem por aí, e vou me apropriar para finalizar este texto, porque já estou precisando de um descanso: se a paternidade não estiver te cansando é porque você não está fazendo do jeito certo.