Diretora de escola indiciada por maus-tratos tem habeas corpus negado pela Justiça

O caso aconteceu em SP. A diretora ainda não se apresentou para a polícia, mas ela alega ser inocente e estar sendo vítima de armação

Resumo da Notícia

  • Diretora de escola indiciada por maus-tratos tem habeas corpus negado pela Justiça
  • O caso aconteceu em SP
  • A diretora ainda não se apresentou para a polícia, mas ela alega ser inocente e estar sendo vítima de armação

Uma escola acusada de maus-tratos chamou a atenção por abusos causados a alunos em SP. Na última segunda-feira, 28 de março, a Justiça negou o habeas corpus da diretora da Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica, Roberta Regina Rossi Serme – que está sendo indiciada por maus-tratos.

-Publicidade-
Roberta alega ser inocente e estar sendo vítima de maus-tratos
Roberta alega ser inocente e estar sendo vítima de maus-tratos (Foto: Reprodução/ R7)

A decisão foi tomada pela desembargadora  Ely Amioka. O advogado Rafael Moreira contou, ao R7, que  “a desembargadora o recebeu, atestou sua regularidade, mas ainda não analisou o mérito”. Roberta alega que é inocente e que está sendo vítima de armação. Ela ainda não se entregou para a polícia.

Entenda o caso

Uma Escola Infantil está sendo investigada pela Polícia Civil por maus-tratos a crianças. O local que fica na zona leste de São Paulo está sendo denunciado após vídeos vazarem, onde mostram crianças chorando e amarradas com ‘camisa de força’ em um banheiro.

Nos vídeos é possível ver que as crianças estão dentro de um banheiro, sentadas em cadeirinhas de bebês, no chão, embaixo de uma pia e próximas à privada. Uma mãe disse ao portal do G1 que identificou seu filho em dois vídeos. As imagens foram gravadas dentro da Escola de Educação Infantil Colmeia Mágica, na Vila Formosa, que é alvo de um inquérito policial aberto no Central Especializada de Repressão a Crimes e Ocorrências Diversas (Cerco) da 8ª Delegacia Seccional.

Escola infantil que amarrou crianças em ‘camisa de força’ é acusada de tortura após novas denúncias
Escola infantil que amarrou crianças em ‘camisa de força’ é acusada de tortura após novas denúncias (Foto: Reprodução/G1)