Criança

Mãe faz desabafo sobre doença da filha de 2 anos e bomba na internet

“Tem pessoas que olham para minha filha com nojo e acham que sua doença é contagiosa". Entenda o caso de Masie

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Reprodução/Daily Mail)

(Foto: Reprodução/Daily Mail)

Maisie Buchanan, de apenas 2 anos, sofre de psoríase infantil, doença que deixa sua pele toda vermelha e com aspecto de queimada. Seus pais, Lesley e Alistair, fizeram um desabafo sobre serem constantemente julgados por outras pessoas que pensam que a doença da filha é contagiosa e que a pele avermelhada de Maisie é causada por queimaduras de sol e por falta de cuidado.

Maisie já chegou a ser hospitalizada seis vezes devido a psoríase infantil, doença inflamatória de pele que se caracteriza pelo aparecimento de lesões avermelhadas e descamativas, em geral com casca esbranquiçada. Por ser uma doença crônica, uma vez que se manifesta, precisa ser tratada pela vida toda.

Maisie apresentou os primeiros sintomas da doença quando tinha apenas quatro meses de idade. “No começo, ela não parava de se coçar e sua pele começou a ficar muito machucada e cheia de arranhões”, conta Lesley, em entrevista ao jornal britânico Daily Mail.

(Foto: Reprodução/Daily Mail)

(Foto: Reprodução/Daily Mail)

Acredita-se que a psoríase seja causada por um problema no sistema imunológico. Os sintomas variam entre os pacientes e podem variar de pequenas manchas de pele seca a casos mais extremos como o de Maisie. A doença atinge cerca de 2% das pessoas — há 125 milhões de pessoa no mundo que sofrem de psoríase — e é mais comum entre os adultos.

Segundo Leslie, os primeiros sintomas apareceram no rosto de Maisie. “Seu rosto começou a ficar bem vermelho, depois a vermelhidão atingiu suas pernas e cotovelos. E aos sete meses já estava em todo o corpo”. Na hora de dormir, ela precisa até usar luvas especiais para evitar que se coce e machuque a pele.

(Foto: Reprodução/Daily Mail)

(Foto: Reprodução/Daily Mail)

Os médicos demoraram alguns meses para diagnosticar a doença e um tratamento para a bebê — o que fez com que ela perdesse peso e tivesse muitas dores. “Eu vi o sorriso da minha filha sumir. Ela só chorava de dor quando tentávamos pegá-la no colo”, conta Lesley.

Agora, Maisie recebe uma injeção por semana de um medicamento chamado methotrexate, que age suprimindo as células do sistema imune que causam a psoríase, além de um creme específico que é passado quatro vezes por dia. “Ela está muito melhor agora se comparado a como ela estava quando foi diagnosticada”, diz Lesley, que decidiu contar a história da filha para alertar sobre a psoríase na infância e esclarecer alguns pensamentos errados e preconceituosos sobre a doença.

(Foto: Reprodução/Daily Mail)

(Foto: Reprodução/Daily Mail)

“Tem pessoas que olham para minha filha com nojo, outras se afastam ou chegam até a afastar seus filhos da minha bebê achando que a doença é contagiosa. Minha vontade é pegar um megafone e gritar: ‘minha filha tem psoríase e não é contagioso! Ela não vai lamber você e nem vai deixar sua pele igual a dela”, desabafa.

Leia também:

Alerta de mãe: “Leve as picadas de carrapato a sério”

Sempre alerta: mangueira de jardim causa queimaduras de segundo grau em bebê

Vamos bater sempre nesta tecla: beijar o recém-nascido, não!