Paxlovid: remédio para covid-19 aprovado para adultos pela Anvisa está em fase de testes para crianças

Os testes estão sendo realizados pela própria Pfizer, com grupos e dosagens diferentes

Resumo da Notícia

  • Remédio aprovado para uso emergencial em adultos contra a covid-19 pela Anvisa está passando por testes em crianças
  • Os teses estão sendo realizados pela própria Pfizer, farmacêutica responsável pela fabricação
  • Dr. Filipe Prohaska, infectologista do Grupo Oncoclínicas, pai de Letícia e Luisa, explica um pouco sobre o funcionamento dessa medicação no caso dos adultos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial do medicamento Paxlovid contra a covid-19 na última quarta-feira, 30 de março. A aprovação até o momento foi feita apenas para adultos, mas o uso em crianças já está sendo testado.

-Publicidade-

De acordo com uma nota oficial da Pfizer enviada à imprensa e divulgada pelo jornal Terra, a farmacêutica, que é responsável pelo Paxlovid disse que está conduzindo um estudo de fase 2/3 com aproximadamente 140 integrantes menores de 18 anos. O objetivo é avaliar a segurança, como esse remédio age no corpo das crianças e se a eficácia é comprovada.

Ainda segundo informações divulgadas pela Pfizer, para fazer o estudo, os participantes foram divididos em dois grupos. O primeiro é composto por um público de seis a 17 anos com peso de, pelo menos, 40 quilos. Já o segundo inclui quem está dentro da faixa etária, mas pesa entre 20 e 40 quilos.

Anvisa aprova uso emergencial do medicamento Paxlovid contra a covid-19
Anvisa aprova uso emergencial do medicamento Paxlovid contra a covid-19 (Foto: Getty)

Para os dois grupos, os testes estão sendo feitos testes com comprimidos duas vezes ao dia, num intervalo de cinco dias. O que muda entre os dois é a dosagem da medicação.

Em entrevista à Pais&Filhos, o Dr. Filipe Prohaska, infectologista do Grupo Oncoclínicas, pai de Letícia e Luisa, explicou um pouco sobre o funcionamento dessa medicação no caso dos adultos. Em primeiro lugar, ele reforçou que o remédio não funciona como profilaxia, ou seja, não é algo que deve ser usado como prevenção para a covid-19. “Você não pode usá-la como prevenção e nem depois de ter contato com alguém que teve covid-19. Assim ele não tem ação”, pontuou ele.

O Dr. Filipe também ressaltou a importância de ter uma medicação como essa contra a covid-19, principalmente para os pacientes que têm mais propensão a desenvolver a doença nas formas mais graves e explicou como deve ser feito o uso: “A medicação é feita para ser usada logo no começo da doença, logo que diagnosticar que é covid. Deve ser usada antes mesmo do início da oxigenoterapia. Se precisar de oxigênio, o tratamento deve ser feito com outra medicação”, explica.

Outro ponto levantado pelo médico foi a questão do valor de comercialização do Paxlovid. “Ainda não foi revelado o custo, mas aparentemente vai ser um custo elevado. E a compra só poderia ser feita por meio de uma prescrição médica. O uso da medicação seria em torno de 5 dias, mas ainda não temos uma confirmação”, completou.