Relato de mãe: “A família do meu marido tentou fazer minha filha de 5 anos fumar sem me contar”

Ela publicou o relato no site Kidspot e contou detalhadamente cada situação ruim que viveu com a cunhada e a prima da filha

Resumo da Notícia

  • Uma mãe desabafou na internet
  • Contou que a família incentivou a filha de 5 anos a fumar
  • Falou também sobre como se sentiu

Uma mãe não teve reação quando descobriu que alguns familiares estavam tentando ensinar os filhos dela a fumar, depois que ela falou sobre o ódio pelo hábito. Ela escreveu no Kidspot e contou que a cunhada dela havia agido pelas costas, após ela pedir para que não falem bem do hábito na frente dos filhos.

-Publicidade-

“Deixe-me começar dizendo que a família de meu marido sempre foi ótima com nossos filhos. Eles os amam e eu sei que eles desejam apenas o melhor para eles. Mas eles cruzaram a linha duas vezes recentemente, o que me fez questionar se tanta exposição às suas reuniões sociais é uma coisa boa”, escreveu a australiana.

 família dela incentivou os filhos a fumarem
A família dela incentivou os filhos a fumarem (Foto: Pixabay)

Ela continuou dizendo que já é tradição grandes encontros da família. “A família do meu marido adora grandes reuniões familiares e posso dizer que eles realmente lutaram contra eles durante a pandemia. Eles se reúnem no nosso quintal, fazemos churrasco, sempre tem comida demais, muita agitação e uma limpeza massiva no final do dia”.

Primeiro ultrapassada de limite

Ela tem dois filhos, um de 13 e uma de 5 anos, e ela disse que há um ano atrás, a primo dos filhos, de 20 anos, cruzou a linha: “Nessa ocasião, minha filha voltou para a mesa e olhou para a grande peça central de vidro borbulhante com a mangueira rosa fluorescente serpenteando até a boca da prima e perguntou: “O que é isso?”.

“Antes que eu pudesse responder, a sobrinha do meu marido respondeu: “É legal, tem um gosto doce! Quando você tiver 16 … não, espere … quando você tiver 14, venha até minha casa e eu vou te ensinar como para fumar! “, relatou a mãe.”Nããão, é nojento! Você não quer isso! Vá para dentro e brinque com o seu irmão.” Eu rebati, conduzindo-a para longe e seguindo-a para dentro de mim”, continuou.

Depois de contar a cena para o marido, a mulher disse que ele ficou muito chocado com o fato de alguém encorajar uma criança de 5 anos a fumar. Ele conversou com a irmã, mãe da sobrinha que tinha falado, e a mulher garantiu que isso não voltaria a acontecer.

Segunda ultrapassada de limite

Mesmo depois dessa conversa, a prima passou dos limites mais uma vez. Havia um cigarro do lado da porta da frente e ela notou que ele estava olhando para ele. Confundindo sua intriga com sabe-se lá o quê, ela ultrapassou a linha que já havíamos deixado claro que não seria mais cruzada”.

“Mãe, tia D me disse para não contar a você, mas ela disse que quando eu tiver idade suficiente eu deveria ir à casa dela e ela mandará um dos meus primos me ensinar a fumar”, disse ele. “Não me importo com o que outras pessoas fazem com seus próprios corpos. Inferno, eu mesmo tenho um cigarro estranho aqui e ali, mas a geração mais jovem da família do meu marido tem essa obsessão em fumar cigarro e não é algo que eu quero para meus filhos”, afirmou ela.

Fumante escondida

Ela também fuma, mas faz questão de não fazer perto dos filhos: “Eu também escondo minha fumaça ocasional de meus filhos porque me preocupo com a saúde deles e sinto que, com tantos hábitos ruins ao redor deles, eles precisam de algum equilíbrio. Tanto eu quanto meu marido sempre fomos muito antitabagistas quando se trata de nossos filhos, então ter isso quase enfiado em seus rostos parece contraproducente e francamente ofensivo”.