Brasileira tem filha gerada por barriga de aluguel na Ucrânia: “tenho obrigação de salvar a família”

A filha de Deise se chama Lua e foi gerada na Ucrânia. Após os ataques russos no país, a mulher quer ajudar a família da barriga de aluguel

Resumo da Notícia

  • Deise é brasileira que contratou barriga de aluguel na Ucrânia
  • Lua é a filha dela, que já tem 2 anos
  • Com os ataques russos, a brasileira se preocupou com a moça na guerra
  • Deise diz que se sente na obrigação moral de ajudar a família da ucraniana

Deise Leobet tem 51 anos, é especialista em negócios internacionais e sempre quis ser mãe. Porém a mulher mora no Distrito Federal e seu sonho foi se realizar na Ucrânia por meio de uma barriga de aluguel. A filha de Deise se chama Lua. A garota tem 2 anos e nasceu em Kharkiv, uma das cidades que sofreu ataques russos.

-Publicidade-

Após o início da guerra na Ucrânia, Deise fez uma entrevista no Portal G1  e disse: “”A Ucrânia fez tanto por mim, pela minha família, que eu tenho uma dívida com esse país. A gente não é contra os russos. Somos pela paz. Nada justifica uma guerra. Estamos todos conectados”.

Deise e a filha Lua
Deise e a filha Lua (Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução: G1)

A guerra entre a Rússia e Ucrânia começou no final de fevereiro. No início de março, Deise organizou um ato pela paz na Ucrânia em Brasília. A ideia desse ato surgiu após a mulher que foi barriga de aluguel para Deise mandar mensagem para família da especialista se despedindo. “Ela disse que não saberia se ela e a família iriam sobreviver por conta dos ataques no país” disse Deise.

O contato que a mãe de Lua tem com a ucraniana é praticamente diário. A especialista relatou que precisa ajudar a ucraniana. “A nossa rainha, que nos emprestou seu útero temporariamente, continua sob risco de vida, assim como seus dois filhos e marido, que agora foi chamado a lutar. Sinto-me na obrigação moral de salvar a família que me ajudou a trazer a minha” relatou Deise.

Barriga de aluguel na Ucrânia

Deise Leobert descobriu quando jovem que não poderia ter filhos biológicos e mesmo após anos tentando adotar ou fazer reprodução assistida, ela decidiu procurar uma barriga de aluguel em locais fora do Brasil.

No Brasil é permitido fazer o processo de “gestação de substituição” desde que não tenha fins lucrativos. Caso a gestação de substituição seja realizada por algum parente de até quarto grau, não há necessidade de autorização para ficar com o bebê. Porém, se não houver nenhum parentesco, o Conselho Regional de Medicina precisa acompanhar o procedimento.

Momento em que Deise e o marido descobriram o sexo do bebê
Momento em que Deise e o marido descobriram o sexo do bebê (Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução: G1)

Já na Ucrânia, é permitido o procedimento de “barriga de aluguel” com fins lucrativos. Deise contou que quando ela e o marido foram para Ucrânia iniciar o processo com a “barriga de aluguel” o cenário estava diferente de outros países.