Cerca de duas crianças morrem por dia por conta da covid-19 no Brasil, afirma estudo

A pesquisa faz parte da Observa Infância em parceria com a Fiocruz, com base nos dados coletados via Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde

Resumo da Notícia

  • Cerca de duas crianças morrem por dia por conta da covid-19 no Brasil
  • A pesquisa faz parte da Observa Infância em parceria com a Fiocruz, com base nos dados coletados via Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde
  • Foram registradas em 2020, 599 mortes de crianças com até cinco anos devido as consequências da doença

Por dia, a covid-19 matou cerca de duas crianças menos de cinco anos no Brasil, desde o início da pandemia. Em soma, 1.1439 crianças dessa faixa etária morreram em decorrência da doença nos dois primeiros anos da pandemia no pais. No caso, em 2020 e 2021, conforme divulga apuração jornalística do CNN Brasil. Ainda de acordo com o jornal, o levantamento faz parte da Observa Infância em parceria com a Fiocruz, com base nos dados coletados via Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde.

-Publicidade-

Foram registradas em 2020, 599 mortes de crianças com até cinco anos devido as consequências da doença. Em 2021, o número de vítimas infantis aumentou para 840. Segundo a CNN, os dados de 2020 e 2021, apurados pelos coordenadores do Observa Infância, Cristiano Boccolini e Patricia Boccolini, tiveram a revisão do Ministério da Saúde e das Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde.

Vacinação contra covid-19
Cerca de 2 crianças morrem por dia em decorrência da covid-19 (Foto: Shutterstock)

Nos testes realizados, foram constatados que, crianças de 29 dias a 1 ano de vida são as mais vulneráveis. A epidemiologista e professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis (UNIFASE/FMP), Patricia Boccolini, alerta a urgência na aprovação da vacina para essa faixa etária.

“Bebês nessa faixa etária respondem por quase metade dos óbitos registrados entre crianças menores de 5 anos. É preciso celeridade para levar a proteção das vacinas a bebês e crianças, especialmente de 6 meses a 3 anos. A cada dia que passamos sem vacina contra Covid-19 para menores de 5 anos, o Brasil perde 2 crianças”, diz Patricia.

Covid-19: vacina da Pfizer é segura para crianças de 6 meses a 4 anos

Em 12 de junho, a agência de medicamentos norte-americana FDA informou que a vacina da Pfizer é eficaz e segura em crianças de 6 meses a 4 anos no combate à covid-19. As informações são da Reuters. Agora, os consultores da FDA chegarão a uma conclusão oficial sobre a recomendação do uso do imunizante na quarta-feira, 15 de junho.

Membros da FDA não encontraram nada que gerasse preocupação em relação à segurança das crianças após revisarem os dados da vacina da Pfizer aplicada em crianças da faixa etária selecionada. Segundo os estudos, o imunizante provou ser 80,3% eficaz na prevenção da covid-19. A amostra desse estudo possuía 10 casos sintomáticos da doença e foi feito quando a variante Ômicron aparecia em maior quantidade nos pacientes confirmados com o vírus.

Aqui no Brasil, um novo estudo pediátrico da vacina contra a covid-19, realizado pelo Centro Paulista de Investigação Clínica – Cepic está em andamento, em São Paulo, e busca crianças que possam ser voluntárias, dessa vez com o imunizante da Pfizer Biontech.

A agência de medicamentos norte-americana FDA informou que a vacina da Pfizer é eficaz e segura em crianças de 6 meses a 4 anos no combate à covid-19
A agência de medicamentos norte-americana FDA informou que a vacina da Pfizer é eficaz e segura em crianças de 6 meses a 4 anos no combate à covid-19 (Foto: Getty Images)

Segundo o diretor do Cepic e coordenador da pesquisa, Cristiano Zerbini, o estudo tem tido bons resultados em outros lugares no mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, a Pfizer concluiu a solicitação de autorização de uso emergencial junto à Food and Drug Administration (FDA). “O objetivo da pesquisa é descobrir se essa vacina pode produzir uma resposta imunológica contra a covid-19 e se é segura quando aplicada em crianças de seis meses a quatro anos de idade”, define Cristiano. Leia aqui a matéria na íntegra.