Daiana Garbin em podcast: “Ter um filho com câncer é uma dor devastadora”

Daiana tem uma filha chamada Lua, fruto do relacionamento com Thiago Leifert. A garota tem um câncer raro nos olhos

Resumo da Notícia

  • Diana Garbin e Thiago Leifert participam de podcast
  • Ela fala sobre a luta contra o câncer da filha
  • A jornalista aponta a importância de espalhar informações
  • Lua de 1 ano e 4 meses tem câncer de retinoblastoma

Daiana Garbin e Thiago Leifert participaram de podcast que discute sobre saúde mental, onde o casal falou sobre a filha Lua de 1 ano e 4 meses, que tem um raro câncer nos olhos.

-Publicidade-

“Um filho com câncer é uma dor devastadora” disse a jornalista. Daiana postou algumas partes do podcast nas redes sociais. “Por eu ser uma pessoa que trabalho desde 2016 falando de saúde mental, eu não podia esconder das pessoas um momento tão delicado, que tem um impacto muito grande na saúde mental de todo pai e de toda mãe” continuou a mãe de Lua.

Thiago e Daiana descobriram o câncer de retinoblastoma da filha em outubro do ano passado. É uma doença que ocorre nas células da retina, variando de unilateral ou bilateral. A filha do casal tem um tumor em cada olho e já passou por alguns tratamentos.

Thiago, Daiana e Lua
Thiago, Daiana e Lua (Foto: reprodução Instagram)

“Mais uma criança foi diagnosticada com retinoblastoma graças ao vídeo que a gente publicou. Estamos muito felizes que o vídeo foi compartilhado. Quero agradecer a todos vocês que nos apoiaram e levaram as crianças ao oftalmo. A gente conseguiu então mais uma vitória. É como se você a cura da Lua quando uma criança é diagnosticada graças ao vídeo. Compartilhem o vídeo sempre que der” falou Daiana.

Tiago Leifert e Daiana Garbin falam da importância de levar filhos ao oftalmologista
Tiago Leifert e Daiana Garbin falam da importância de levar filhos ao oftalmologista (Foto: Reprodução / Instagram / @tiagoleifert)

E sobre o assunto do podcast, a esposa de Thiago também disse da importância de disseminar informações. “A gente precisava usar o poder da informação, porque a informação salva vidas. Assim como a gente está falando hoje de saúde mental, isso pode salvar um vida”.