De aquecer o coração! Padre faz surpresa para noivos surdos e celebra casamento em libras

Adrielly e o Adalberto nasceram ouvintes, no entanto perderam a audição devido a meningite quando eram bebês

Resumo da Notícia

  • Um padre do agreste de Pernambuco surpreendeu os noivos surdos e celebrou o casamento deles em Libras
  • Tanto a mulher quanto o marido nasceram ouvintes, no entanto perderam a audição devido a meningite
  • Adrielly e o Adalberto são professores de Libras e o marido também é tradutor de sinais internacionais e trabalha como assistente de suprimentos e materiais em um hospital

O dia do casamento é uma das datas mais especiais de um casal, sendo assim, o momento deve ser perfeito! Um padre do agreste de Pernambuco contribuiu para isso. Sem avisar, Aluizio Ricardo Aleixo celebrou o casamento de dois noivos surdos em Libras.

-Publicidade-

Tanto a mulher quanto o marido nasceram ouvintes, no entanto perderam a audição devido a meningite, quando Adrielly Monteiro tinha 8 meses e Adalberto Ferreira tinha 2 anos.  “Ficamos muito felizes, é claro […]. Esse sinal foi acolhedor e respeitoso para com a gente e os nossos convidados surdos, pois a Libras é a nossa primeira língua”, comentou a noiva que não esperava tanta inclusão e carinho por parte do padre.

O padre celebrou o casamento em Libras (Foto: Djeison Zennon/Estúdio Casa Amarela/Divulgação)

Adrielly e o marido são professores de Libras e Adalberto também é tradutor de sinais internacionais e trabalha como assistente de suprimentos e materiais em um hospital. O casal chegou a contratar dois intérpretes de Libras para a cerimônia, mas acabou nem sendo necessário.

O padre, que é diretor espiritual no seminário Nossa Senhora das Dores, disse aprendeu Libras há muitos anos, quando foi evangelizado. Para ele, a experiência de celebrar o matrimônio de Adrielly e Adalberto ficará marcada para sempre.

“Cada matrimônio é único. Mas [este] de Adrielly e Adalberto, ficou marcado porque percebi a atenção e participação de todos surdos e ouvintes. A participação da pessoa com deficiência na vida da Igreja é necessária e importante”, concluiu o frade.