“Ele acabou com minha família”, diz irmã de mecânico que morreu com 16 tiros

Diego Eufrásio saía de uma balada em outubro de 2016, quando foi perseguido por 3 homens que atiraram 16 vezes nele, e acabaram acertando outras pessoas

Resumo da Notícia

  • Diego Eufrásio da Silva foi morto em outubro de 2016 com 16 tiros
  • O jovem havia discutido com um rapaz que estava portando um revólver na balada
  • Após sair da festa, Diego foi perseguido pelos amigos do rapaz e foi morto em um posto em Campo Grande

A família de Diego Eufrásio da Silva espera há 6 anos pelo julgamento do assassino do homem, o jovem de apenas 24 anos era mecânico e foi perseguido por 3 homens, ao sair de uma balada em Campo Grande, e levou 16 tiros. Outras pessoas também foram atingidas, mas sobreviveram.

-Publicidade-

Reginaldo Luciano é acusado de cometer o crime contra Diego. Simone Eufrásio, 35, irmã de Diego, falou que o rapaz era trabalhador e não tinha conflito com ninguém. “Ele acabou com a minha família, queria saber por que tanta crueldade. Sinto saudades dele todos os dias”, disse ao portal MidiaMax.

A mãe, Josimara Pereira da Silva, 49, espera que os autores do assassinato do filho sejam condenados. “Foi uma execução, foram para matar ele. Diego não conhecia os autores”, falou Josimara, que ainda disse que ninguém da família sabia quem eram os criminosos.

A mãe do jovem pede justiça pelo filho
A mãe do jovem pede justiça pelo filho (Foto: Reprodução/Henrique Arakaki/Midiamax)

Ela ainda contou que no dia em que Diego disse que ia sair teria falado para ele: “Filho cuidado com briga”. O rapaz teria respondido à mãe, que não era de brigar com ninguém. “Não desejo nem para a mãe deles (autores) essa dor”, finalizou. O jovem teria discutido no local da festa com um rapaz que estava portando um revólver calibre 38, e fez disparos contra ele, que atingiram o pescoço.

Em seguida, Diego teria ido embora, sendo perseguido pelos amigos do rapaz ferido. Os três autores saíram em um Honda Civic na ‘caça’ do mecânico, vindo a encontrá-lo, nos posto de combustível em frente à Base Aérea da cidade. Diego Eufrázio da Silva foi assassinado com 16 tiros e outras duas pessoas que estavam no local acabaram sendo feridas pelos disparos feitos por um dos autores.