Família percorre mais de 300 km para adotar cão paraplégico: “Foi uma conexão imediata”

Suelaine e Fernanda moram em Ribeirão Preto, entretanto elas sentiram uma conexão imediata pelo animal resgatado em Votorantim e o adotaram para fazer parte da nova família

Resumo da Notícia

  • Um casal percorreu mais de 3oo quilômetros para adotar Sebastian
  • A família achou que não iriam conseguir adotar o animal devido a distância
  • Suelaine e Fernanda criaram uma página no Instagram para o novo membro da família

As técnicas de enfermagem Suelaine Calefe Candido, de 36 anos de idade, e Fernanda Santos de Jesus, de 34 anos, viajaram por mais de 300 quilômetros para adotar Sebastian, de Ribeirão Preto até Sorocaba, um cachorro tetraplégico resgatado em julho de 2021 na cidade de Votorantim, localizada em São Paulo.

-Publicidade-

O casal sempre teve o interesse de aumentar a família e souberam da história de Sebastian por meio das redes sociais da cadela Olívia, que conta com mais de 75 mil seguidores no Instagram administrado por Mariana Camargo de Oliveira. “Mandei uma mensagem no perfil da Olívia, mas não imaginei que seria respondida por ter muitos seguidores. Mas fui respondida e comecei a conversar com a Mariana, começamos a ter uma amizade e conversar sobre a adoção do Sebastian”, contou Suelaine com exclusividade para o portal do G1. Para ver este conteúdo, clique aqui.

Sebastian ao lado da nova família (Foto: Reprodução Instagram @sebastian_especial)

Fernanda e Suelaine já possuíam outros quatro cães, e precisaram passar por uma entrevista seletiva para conseguirem adotar Sebastian. “Nesse tempo, nós conhecemos a rotina do Sebastian também. E, graças a Deus, gostaram da nossa família e sentiram o amor que temos pelos nossos animais.”

O encontro com o novo membro da família tardou um pouco, contaram elas, já que o pai de Suelaine precisou passar por cirurgia. Porém, depois de algumas semanas e quase 300 quilômetros, finalmente se reuniram e a união foi compartilhada nas redes sociais, através de uma sessão de fotos no Parque do Paço para comemorar a adoção.

O encontro da família com Sebastian foi compartilhado nas redes sociais (Foto: Reprodução Arquivo Pessoal)

“Geralmente as ONGs preferem alguém que more perto. Mas eu prefiro aquela família que eu sinto que vai amar de verdade. Foi uma conexão imediata. O Sebastian é um cachorro muito bonzinho, e elas já demonstravam carinho mesmo antes de conhecê-lo”, relatou Mariana ao G1.