Criança ucraniana de 11 anos atravessa fronteira até Eslováquia: “Minha esperança me guiou”

Hassan tem 11 anos e a mãe mandou ele atravessar a fronteira da Ucrânia até a Eslováquia para fugir da invasão russa no país

Resumo da Notícia

  • Hassan tem 11 anos e atravessou a fronteira para fugir da invasão russa
  • O garoto foi sozinho e só com passaporte, sacola e um número escrito na mão
  • A mãe dele não podia deixar a avó
  • A Guerra na Ucrânia já dura mais de 2 semanas

Hassan Al-Khalaf é um garoto de 11 anos que atravessou a Ucrânia sozinho em meio à guerra que está acontecendo no país. Ele chegou na Eslováquia com um grupo de refugiados que assim como ele, escaparam da invasão russa. O garoto chegou na Eslováquia no começo do mês de março, mas a história de como ele atravessou o país só repercutiu depois que um policial postou na sua conta do Facebook. O homem chamou ele de “Herói” pois Hassan, além da coragem, viajou de trem e a pé a partir do sudoeste da Ucrânia, em Zaporizhie.

-Publicidade-

“Ganhei minha esperança da minha mãe querendo que eu fosse” falou Hassan em entrevista. “Minha esperança me guiou pelo caminho” finalizou o garoto. Depois, o garoto foi chamado para uma manifestação pró-Ucrânia na capital da Eslováquia, nesta sexta-feira, 11 de março. A mãe de Hassan mandou o menino sozinho para Eslováquia pois ela não poderia deixar a avó dele sozinha. Ele levou consigo uma sacola plástica, o passaporte e um número de telefone que foi escrito na mão. O irmão mais velho do menino estuda na Eslováquia.

Hassan tem 11 anos e atravessou a fronteira da Ucrânia sozinho
Hassan tem 11 anos e atravessou a fronteira da Ucrânia sozinho (Foto: Reprodução / Twitter)

Quando Hassan passou a fronteira, a polícia eslovaca se pronunciou dizendo que aquela situação trazia lágrimas para eles e que o menino foi o maior herói da noite anteriores. Fora o garoto, há mais de 2 milhões de refugiados que deixaram a Ucrânia e seguiram para Polônia, Eslováquia, Romênia, Hungria até chegar na União Europeia.

O menino encerrou sua fala dizendo “Quero agradecer muito aos voluntários, por que eles estão ajudando pessoas que nem conhecem. Eu acredito que teremos um final feliz”.

A ONU apontou a situação como crise de refugiados. Ao menos 170 mil pessoas cruzaram as fronteiras em êxodo. Essa crise é a que mais cresce na Europa desde o início da Segunda Guerra Mundial.