Mãe mostra última foto do filho sorrindo antes de perdê-lo para uma crise de epilepsia

Paula Allen não sabia da doença de Liam até poucas horas antes da criança não sobreviver. Um dia antes de deixar a família o menino tinha participado de uma sessão de fotos na escola

Resumo da Notícia

  • Uma mãe compartilhou na internet a última foto do filho antes de sofrer uma crise de epilepsia e não sobreviver
  • Paula Allen contou que o pequeno Liam, de 7 anos, fez um ensaio de fotos na escola um dia antes de ser internado e ficar em coma por 24 horas
  • A família não sabia da doença do filho e hoje quer ajudar a conscientizar a população

Uma mãe compartilhou na internet a última foto do filho antes de sofrer uma crise de epilepsia e não sobreviver. Paula Allen contou que o pequeno Liam, de 7 anos, fez um ensaio de fotos na escola um dia antes de ser internado e ficar em coma por 24 horas. A família não sabia da doença do filho e hoje quer ajudar a conscientizar a população.

-Publicidade-
O menino tirou a foto para o livro da escola (Foto: Arquivo Pessoal)

Paula mora em Rotherham, na Inglaterra, com seu marido David, de 31 anos e os filhos Levi, de 5, Rory, de 3, e Grace, de 6. Liam era o primogênito e tinha se sentindo um pouco mal na escola no dia em que partiu. Como contou a mãe ao The Sun, a criança passou o resto do dia bem e foi dormir com a avó. Apenas quando acordou com febre no dia seguinte que a família começou a ficar preocupada.

O menino era o mais velho de 4 irmãos (Foto: Arquivo Pessoal)

“Por volta das 21h30 da noite a eu o examinei novamente e ele estava com febre de novo. Meu marido entrou por volta das 22h10 e disse que era hora de dormir. Ele foi ao banheiro se lavar e escovar os dentes. Então, quando ele saiu, gritou: “Paula, rápido, ele está tendo uma convulsão”, descreve a mãe. Ela diz que mesmo vendo o menino tremer e espumar, nunca pensou que perderia o filho por isso.

-Publicidade-
Paula quer ajudar outras famílias a descobrirem a doença mais cedo (Foto: Arquivo Pessoal)

O menino já tinha tido duas outras convulsões neste mesmo ano, em 2019, mas o diagnóstico de epilepsia não tinha sido fechado. Naquele dia, Laim convulsionou por três horas antes dos médicos decidirem colocá-lo em coma induzido. Algumas horas depois, ele já estava sem vida.

Após a perda do filho mais velho o casal descobriu que um dos irmãos, Rory, também sofre com o problema. Paula diz que aprendeu a importância de não ignorar sinais como a febre alta e outros sintomas do início de convulsões. Segundo a família, Liam era um menino “tímido, mas amigável”.

-Publicidade-