Mães envelhecem até 7 anos nos primeiros meses de vida do bebê, segundo estudo

O estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, reuniu 33 mães de crianças de um ano para participar de testes e responder questionários sobre como a quantidade e a qualidade de sono mudou desde que os filhos nasceram

Resumo da Notícia

  • Segundo estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, dormir pouco nos primeiros seis meses de vida do bebê pode também acelerar o envelhecimento das mães
  • Uma das pesquisadoras comentou que a falta de sono no pós-parto pode fazer a mãe envelhecer de 3 até 7 anos nos primeiros meses do bebê
  • Para chegar nessa conclusão, os cientistas convidaram 33 mães de crianças de um ano para participar de testes e responder questionários

É tanto sono acumulado que nem lembramos mais o que é uma boa noite de sono. Entre as trocas de fralda, mamadas e choros, a provação do sono das mães no pós-parto é como se fosse regra. Mas esse cansaço acumulado pode trazer mais consequências do que você imagina.

-Publicidade-

Segundo estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, dormir pouco nos primeiros seis meses de vida do bebê pode também acelerar o envelhecimento das mães.

Para chegar nessa conclusão, os cientistas convidaram 33 mães de crianças de um ano para participar de testes e responder questionários sobre como a quantidade e a qualidade de sono mudou desde que os bebês nasceram. Também foram coletadas amostras de sangue, para analisar possíveis alterações no DNA, relacionadas a doenças que costumam aparecer com o avanço da idade.

Mães envelhecem mais rápido por causa das noites sem dormir no pós-parto (Foto: Reprodução)

E o resultado foi que  mais da metade das participantes dormia menos de 7 horas por noite. Sendo a privação de sono nos primeiros seis meses de vida do bebê aceleradora o processo de envelhecimento e podendo aumentar o risco de problemas de saúde.

Judith Carroll, uma das estudiosas, explica que isso pode ser porque cuidar de um bebê recém-nascido é uma atividade bastante desgastante para o corpo da mulher. Mas, segundo ela, mais estudos ainda precisam ser feitos para confirmar essa hipótese e descobrir se “correr atrás do prejuízo” e dormir melhor nos anos seguintes seria suficiente para reverter esse cenário.

“Ter mais oportunidades para dormir é importante. Se houver um parceiro, amigo ou avô disponível, eu aconselho que aproveitem essa oportunidade para ir para a cama descansar. Quando o bebê dorme sete ou oito da noite e a mãe está cansada, pode ser melhor simplesmente ir para cama do que ficar acordada lutando contra o sono”, contou ao Daily Mail.