Mulher acorda de coma após 2 anos e identifica irmão como agressor: “Deixada para morrer”

A polícia passou os dois anos do coma investigando o caso, porém nunca conseguiu chegar em respostas

Resumo da Notícia

  • Mulher é atacada pelo próprio irmão em tentativa de homicídio
  • Após o crime, Wanda entrou em um coma de dois anos e, ao acordar, contou que o culpado foi seu próprio irmão
  • Daniel foi preso aos seus 55 anos nos Estados Unidos

Wanda Palmer, de 51 anos, despertou de um coma após dois anos e identificou o próprio irmão como seu agressor de acordo com a polícia. A mulher residente da Virgínia Ocidental, nos Estados Unidos, acusou seu irmão de atacá-la em sua residência perto de Cottageville, também na Virgínia Ocidental, em junho do ano de 2020. A polícia explicou que a mulher foi “atacada e deixada para morrer”, de acordo com um comunicado publicado pelo Departamento do Xerife do Condado de Jackson nas redes sociais.

-Publicidade-

A polícia relatou que encontrou Wanda jogada em seu sofá com ferimentos graves gerados ​​por um objeto que aparentava ser um machado. O xerife do condado de Jackson, Ross Mellinger, disse ao veículo noticioso CNN que, assim que a polícia chegou, todos acreditaram que Palmer estava morta, mas perceberam depois de um tempo que a mulher ainda estava viva e respirando superficialmente.

Durante o período de coma, a polícia andou investigando vários suspeitos (Foto: Getty Images)

De acordo com Mellinger, a polícia nunca encontrou a arma do crime. Segundo uma testemunha que conseguiu estar presente perto do local do crime no dia, esta acabou vendo o irmão de Wanda, Daniel, em sua varanda momentos antes de bater meia-noite na noite anterior à descoberta, relatou o xerife. Registros telefônicos, imagens de câmeras de vigilância ou testemunhas oculares não foram encontrados fora da casa da mulher, contou Mellinger.

Nos dois anos de investigação, a polícia acabou procurando diversas pessoas, entretanto, nunca conseguiu acusar alguém formalmente. Há poucas semanas, Mellinger contou ao jornal que recebeu uma ligação em seu escritório vinda do centro de atendimento onde a mulher estava internada em coma, afirmando que esta estava autorizada a falar com autoridades.

Não totalmente recuperada, Palmer respondeu apenas às perguntas de sim ou não, mas forneceu provas suficientes para realizar a prisão do irmão Daniel. Este foi preso aos seus 55 anos e acusado de tentativa de homicídio e ferimento malicioso na última sexta-feira, 15, de acordo com os registros de prisão obtidos pela plataforma da CNN.

O acusado foi indiciado com uma fiança de US$ 500.000, segundo o xerife do condado. Este contou que não está claro se ele se declarou como culpado ou inocente à Justiça. O veículo não conseguiu identificar seu advogado, mas contatou a Defensoria Pública do Condado de Jackson.