Mulher compartilha fotos emocionantes de abrigo para animais com doenças terminais

Alexis teve a ideia de abrir o local após lembrar da cadela Maggie, que foi a melhor amiga dela por anos

Resumo da Notícia

  • Uma mulher abriu um asilo para animais com doenças terminais
  • O objetivo é que eles passem os últimos dias em paz
  • As fotos viralizaram nas redes sociais

Alexis Fleming abriu um asilo para animais com doentes, muitos em estado terminal, para eles passarem os últimos dias em paz. O local existe desde 2016 e a dedicação da mulher para garantir o melhor aos pets é emocionante de se ver. A ideia veio depois que Alexis perdeu Maggie, uma cadela que resgatou das ruas e cuidou por anos.

-Publicidade-
A mulher abriu um abrigo para os animais passarem os últimos dias felizes
Alexis  abriu um abrigo para os animais passarem os últimos dias felizes (Foto: Reprodução / Instagram)

“Ela morreu após complicações, depois de uma cirurgia. Eu tive que tomar a decisão pelo telefone, se a deixaria morrer, e eu sabia que nunca mais a veria novamente”, lembra. Segundo Alexis, Maggie foi a maior e melhor companhia dela durante anos, além de que a cadela quem deu forças para ela lutar contra a Doença de Crohn.

A compaixão por animais de rua sempre esteve presente no caráter dela. E vendo a situação e lembrando de Maggie, ela decidiu abrir o asilo. O local já abriga mais de 100 animais atualmente, e conta desde de cachorros, até galinhas e ovelhas. Para Alexis, não importa a espécie, já que todos precisam de amor.

No abrigo, é possível encontrar as mais diversas espécies
No abrigo, é possível encontrar as mais diversas espécies (Foto: Reprodução / Instagram)

Mesmo sendo um trabalho duro, mais de 16 horas por dia, ela diz que o amor que recebe dos animais não tem preço. “Essa é a parte prazerosa. Ter algo assim para te fazer levantar da cama de manhã, sou muito sortuda. Realmente não sinto como se fosse um trabalho”, conta.

Acostumada com a perda

Sobre a partida dos animais, ela disse que já aprendeu a lidar com a partida deles. “Se aceitamos a vida, temos que aceitar a morte. É uma realidade inevitável e, de fato, pode ser algo realmente lindo. Isso vai acontecer e todos nós podemos tornar a morte de alguém bonita”, ensinou Alexis.