“Não mostrou nenhuma emoção”, diz delegado sobre mãe que matou filha de 11 anos por ter relações sexuais

Luna Nathielli Bonett de apenas 11 anos, foi encontrada morta no dia 14 de abril, segundo a mãe ela havia tido uma crise de raiva quando descobriu que a filha tinha tido relações sexuais

Resumo da Notícia

  • Uma menina de 11 anos foi morta pela mãe
  • Segundo a mãe, ela teve uma crise de raiva ao descobrir que a filha tinha relações sexuais
  • O delegado contou que a mãe não esboçou nenhuma reação durante o depoimento

Uma menina de 11 anos foi encontrada morta no dia 14 de abril, em Timbó, no Vale do Itajaí. A mãe da criança contou ao delegado, André Beckman, que teve uma crise de raiva quando soube que a filha já era “sexualmente ativa” com a idade dela. Segundo André, a mulher não esboçou qualquer emoção durante o depoimento.

-Publicidade-

A morte da vítima foi constatada na madrugada de quinta-feira (14), mas a polícia informou que a menina começou a apanhar um dia antes. No depoimento, a mulher também disse que deu banho e colocou a criança para dormir após agredi-la. A mulher está presa. “Ela não mostrou nenhum tipo de emoção, apenas ficou olhando para baixo e falando baixo. O padrasto até se emocionou. Ele me contou que foi ameaçado”, comentou o delegado ao portal do G1.

Luna de 11 anos foi morta com chutes e socos, dados pela mãe
Luna de 11 anos foi morta com chutes e socos, dados pela mãe (Foto: Reprodução/G1)

Segundo o delegado, o padrasto chorou ao contar que perdeu os empregos nas academias em que trabalhava e que era apontado na rua como culpado. A mulher estava em um relacionamento com o professor de jiu-jitsu há cerca de um ano. Ela morava com ele e os três filhos de companheiros anteriores em uma casa no bairro Imigrantes, que pertence ao suspeito. Luna era a mais velha e tinha uma irmã de seis anos e outra de nove meses.

De início imediato, o casal disse que a menina caiu de uma escada após tentar salvar um gato. Além disso, os suspeitos disseram que a criança estava consciente e prosseguiu realizando suas atividades normalmente até a hora de dormir. No entanto, à meia-noite, começou a passar mal. Sendo assim, decidiram pedir ajuda médica. Mas, o laudo da necropsia apontou que os ferimentos no corpo da criança eram inviáveis de terem sido provocados apenas por uma queda. A garota tinha lesões internas no crânio, baço, pulmão, intestino e uma laceração na vagina.