Neta ajuda avó a ser alfabetizada e ganha mensagem especial de aniversário

Clarice pediu de presente pelos 22 anos um bilhete escrito por dona Marlene, de 77 anos. A senhora está sendo alfabetizada na igreja e contou com o auxílio da neta para conseguir mandar o recado

Resumo da Notícia

  • Clarice pediu um presente especial para comemorar os seus 22 anos
  • Ela queria que a avó, que não é alfabetizada, escrevesse uma mensagem de aniversário para a neta
  • A senhora de 77 anos aceitou o desafio e deixou seu bilhete mais que especial para a baiana

Clarice pediu um presente especial para comemorar os seus 22 anos: ela queria que a avó, que não é alfabetizada, escrevesse uma mensagem de aniversário para a neta. A senhora de 77 anos aceitou o desafio e deixou seu bilhete mais que especial para a baiana: “Parabéns”. A conquista foi comemorada por Clarice, que resolveu compartilhar a história para que outras pessoas ajudassem os parentes analfabetos a se sentirem melhor.

-Publicidade-
O recado foi um presente da avó (Foto: Arquivo Pessoal)

“Eu só ensinei ela a montar aquelas palavras pra fazer um bilhetinho pra mim e resolvi gravar porque achei que gostaria de lembrar desse momento pra sempre”, disse Clarice, em entrevista ao SóNotíciaBoa.

A “aula” que a neta deu para a avó animou tanto a dona Marlene que a jovem pensa em repetir mais vezes o processo. A idosa, que nunca teve a chance de frequentar uma escola, está aprendendo agora a ler e escrever na igreja. “Como qualquer outra pessoa que nasceu e cresceu na roça, ela teve uma vida difícil, mas está aprendendo a ler por um processo de assimilação com os hinos da igreja”, conta a neta.

-Publicidade-
Clarice disse que vai repetir as aulas com a avó (Foto: Arquivo Pessoal)

A mensagem de aniversário foi guardada como recordação por Clarice, que mora a 120 km da casa da parente. Por conta da distância, as duas só se encontram uma vez por mês. “Eu percebi que ela se mostrou bem disposta para escrever, parecia que tinha anos que ela não pegava numa canela. [Quando voltar] vou pedir pra que ela escreva mais coisas num caderninho”, falou.

“Vamos ver se as pessoas doutrinam os olhos pra cuidar dos nossos idosos. Sinto falta de ter ela por perto e ela sente falta da gente. Dar esse tipo de estímulo faz diferença na vida deles”, desabafou a jovem.

-Publicidade-