São Paulo anuncia fase emergencial: entenda o que muda na medida mais restritiva do estado

A partir de uma coletiva de imprensa realizada nesta quinta (11), o estado de São Paulo entrou na fase emergencial, medida que será instaurada como uma alternativa de conter o avanço na pandemia

Resumo da Notícia

  • A fase emergencial é uma nova medida do instaurada no Plano São Paulo
  • Com os avanços da pandemia no estado, a situação é uma alternativa contornar o problema
  • Vale lembrar que a fase emergencial será mais restritiva que a vermelha, repensando em quais serão os serviços essenciais

Nesta quinta-feira, 11 de março, o governo do estado de São Paulo realizou uma coletiva de imprensa para anunciar novas medidas para conter a pandemia de coronavírus. No entanto, isso implica na criação de mais uma fase no Plano São Paulo, a fase emergencial, que será ainda mais restritiva do que a vermelha.

-Publicidade-
A fase roxa é mais restritiva que a vermelha no Plano São Paulo (Foto: Shutterstock)

Na última semana, o estado havia entrado na fase vermelha, permanecendo do dia 6 até 19 de março. Mas, visto o aumento acelerado de casos, internações e óbitos, foi vista a necessidade de fazer um novo planejamento. A nova medida passa a valer do dia 15 até o dia 30 de março.

Mais cedo, nas redes sociais, o governador informou que: “Teremos que adotar medidas ainda mais restritivas de distanciamento social para diminuir a circulação do vírus no estado de SP. É a única forma para tentarmos, neste momento, conter a aceleração das mortes e evitar que tantas famílias sejam devastadas”.

-Publicidade-

“Nossos hospitais já estão chegando a se comprometer. Estamos chegando ao limite”, disse Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde de São Paulo. Até o momento, 53 municípios estão com 100% de ocupação nas UTIs, sendo que na segunda-feira, 8 de março, o número era de 32 municípios. Hoje, 9.184 pacientes estão internados em uma Unidade de Terapia Intensiva. Isso significa um número 47% maior do que o observado no pico da primeira onda.

Se não aumentarmos o isolamento social, muito gente irá morrer. Mesmo as pessoas com o melhor plano de saúde não vão ter leitos nos hospitais privados. Nós chegamos no ponto mais dramático da pandemia”, lamenta João Gabbardo, coordenador executivo do Centro de Contingência Covid-19.

Nós chegamos no ponto mais dramático da pandemia

Como funciona a fase emergencial do Plano São Paulo

Foi anunciado ainda que na fase emergencial as atividades suspensas são: serviços de retirada, celebrações religiosas, atividades esportivas coletivas, lojas de materiais de construção. Além disso, o tele-trabalho será obrigatório para atividades administrativas não emergenciais, tanto para órgãos públicos, como escritórios.

Não será autorizado também serviços de retirada de alimentos e produtos nos estabelecimentos. O serviço de drive-thru só poderá funcionar das 05h às 20h e delivery 24h para restaurantes e outros estabelecimentos comerciais.

Escalonamento para horários de entrada de funcionários por setor

Como recomendação para evitar aglomerações nos transportes públicos, é sugerido que trabalhadores da área da Indústria entrem entre 05h e 07h, das 07h às 09h para os trabalhadores de Serviços e das 09h às 11h para trabalhadores da área do Comércio.

Recesso escolar é antecipado em São Paulo

Para conter a circulação de pessoas, Rossieli Soares, secretário de Educação de São Paulo, anunciou que o recesso escolar será antecipado na rede estadual.  Com isso, os alunos não terão atividades obrigatórias para desenvolver e devem continuar em casa.

Durante a fase emergencial, as escolas devem permanecer abertas apenas para alimentação e distribuição de materiais e chips, sempre com agendamento prévio. Para e Educação Básica, é recomendado aos municípios e redes privadas que as atividades nas escolas sejam realizadas no mínimo possível “mas, se o aluno puder fazer a distância, faça”, explica Rossieli Soares.

*Em atualização