Temporais históricos na Alemanha e na Bélgica já somam mais de 100 mortos e 1300 desaparecidos

O forte temporal que atingiu a região na última quinta-feira, 15 de julho, apresentou a maior quantidade de chuva em 24 horas dos últimos anos

Resumo da Notícia

  • Um temporal histórico na região da Alemanha já soma mais de 100 mortos e 1300 desaparecidos por causa das enchentes e fortes chuvas
  • Essa já se tornou a maior catástrofe natural da Europa das últimas décadas
  • As inundações também afetaram Luxemburgo, Países Baixos e o leste da França
  • A chuva letal ocorreu na última quinta-feira, 15 de julho

Um temporal histórico – com o maior volume de chuva em 24 horas das últimas décadas na Europa – já está somando mais de 100 mortos e 1300 desaparecidos na Alemanha e na Bélgica. As autoridades locais ainda não sabem quantas pessoas estão, de fato, feridas, ou sem sinal de telefone e internet entre o número de desaparecidos.

-Publicidade-

Essa já é considerada a maior catástrofe natural das últimas décadas na Europa. Além dos territórios da Alemanha e da Bélgica, Luxemburgo, Países Baixos e o leste francês também foram afetados pelos fortes temporais. As autoridades temem ainda que o número de mortes aumente mais – já que, dos desaparecidos, 1300 são só da cidade alemã de Ahrweiler.

Contudo, ainda não se sabe quantos e quais desaparecidos são vítimas, e quais foram afetados pelo corte de energia decorrente das chuvas. Inclusive, a falta de sinal para internet e telefone celular nos territórios afetados pela catástrofe interferem na busca.

Diversas pessoas perderam as casas para os temporais (Foto: Reprodução/ G1)

As chuvas geraram grandes correntes de água – que perduram até esta sexta. Além delas, desabamentos, quedas de árvores e enchentes também foram responsáveis por destruir casas de milhares de europeus durante o temporal. As equipes de resgate locais estão usando botes para resgatar habitantes que não conseguiram sair de suas casas e ir para abrigos.

Mais de 160 mil pessoas seguem sem eletricidade e energia em Berlim – e as principais linhas ferroviárias tiveram seus trajetos reduzidos. Além disso, foi aberta uma linha telefônica exclusiva para aqueles que ainda possuem bateria e sinal de telefone fornecerem mais informações sobre os desaparecidos.

A primeira-ministra alemã, Angela Merkel, disse que esse é um cenário de “medo, pelo desespero e pelo sofrimento, pois pequenos rios se transformaram em torrentes inundadas e devastadoras”. Além disso, também agradeceu os profissionais envolvidos no resgate de vítimas do temporal, “Eu ofereço minha empatia e meu coração está com as pessoas que perderam entes queridos. Incluo aqueles na Bélgica, Luxemburgo e Holanda”, finalizou ainda, sobre auxílio a países vizinhos também desolados.