Mãe de jovem que deu à luz sem saber que estava grávida conta que passou pela mesma situação

Amanda Coelho, de 23 anos, deu à luz em casa sem saber que estava grávida, e a mãe contou que também passou pela mesma situação quando estava grávida da filha, mas os médicos afirmam que a coincidência não tem a ver com a genética

Resumo da Notícia

  • Uma jovem de 23 anos deu à luz em casa sem saber que estava grávida
  • Amanda Coelho mora junto com a mãe no bairro Silvanópolis, em Cuiabá
  • Naiara Rosania Soares Coelho contou que passou pela mesma situação quando estava grávida de Amanda

Uma jovem de 23 anos deu à luz em casa sem saber que estava grávida. Amanda Coelho mora junto com a mãe no bairro Silvanópolis, em Cuiabá. A mãe de Amanda, a Naiara Rosania Soares Coelho, de 39 anos, afirmou que quando chegou em casa, a filha estava no quarto. A própria gestante teve que cortar o cordão umbilical da recém-nascida.

-Publicidade-

Naiara contou ao portal do G1, que passou pela mesma situação quando estava grávida de Amanda, mas apesar da coincidência os médicos afirmam que não tem a ver com a genética. Aos seis meses de gestação, Naira não tinha percebido que esperava Amanda, à época. Mas, antes de dar à luz, ela notou a mudança no corpo e passou a ser acompanhada no pré-natal.

Por isso, a mãe não duvida de que a filha também não tenha percebido, de fato, que estava esperando pelo terceiro filho. “Em momento nenhum eu duvidei de que ela soubesse [da gravidez] porque também já aconteceu comigo, quando estive grávida dela”, afirmou.

O Conselho Tutelar não acredita que a bebê é filha de Amanda
O Conselho Tutelar não acredita que a bebê é filha de Amanda (Foto: Reprodução / Arquivo pessoal)

Segundo Naira, as tias de Amanda ainda estavam desconfiadas de que ela pudesse estar gestante por causa do peso que aumentou. De acordo com a mãe, ela chegou a fazer dois testes de gravidez, no entanto, os resultados foram negativos. Amanda tem três filhos. As duas mais velhas têm 6 anos, com diferença apenas de meses.

Naiara contou que depois do parto, o médico levou o caso para o Conselho Tutelar, pois suspeitava que a criança não fosse dela. Agora que a história repercutiu, Naira e Amanda estão aguardando uma resposta dos órgãos públicos a respeito da documentação da bebê para fazer o registro ainda nesta sexta-feira (20).

Segundo a médica ginecologista e obstetra, Adriana Totta, a gravidez silenciosa não se trata de uma condição genética, mas sim de um fator sócio emocional que pode vir a acontecer em qualquer mulher. “Não existe nenhum fator genético nisso. Já tive dois casos em que vi minha paciente que chegou durante o plantão achando que era cólica renal e, na verdade, estava dando à luz a um bebê de nove meses. Mas não tem relação genética nenhuma”, disse.